Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Eu sou o Custódio Cruz,e vocês quem são?



É tempo de seres tu a recolher a lição,
mesmo que o sofrimento seja enorme,
se há aqueles que pelas mãos te passaram lhes ajudaste a limpar e a disciplinar a alma,
mal será que o ensinamento se perca,
e o sonho termine...

Foste o guerreiro que um dia persistentemente refletiste a solução,
no que ao homem que não controla as suas emoções,
nunca poderá ser melhor que o outro...

E é por isso que não deves esquecer que "o jogo" ainda não acabou,
e se desistir está fora de causa,
perderes-te é a maior desilusão para quem te considera...

Admite que algum tempo passou,
mas que continuas a fazer arrepiar quem ao teu lado caminha,
pois só acreditando no que sentes,
podes alcançar os limites de um carisma tão louco,
quanto simples e genuíno no encarar da vida...

Considera-te e certifica com a consciência,
apaga a escuridão dos pensamentos,
e deixa que num espaço momentâneo,
o silencio tome conta de ti...

Foca-te na beleza da continuidade,
e não deixes que "os pássaros negros" se acomodem nas sombras do mal,
ignora-os, 
e permite que a luz tome conta da tua alma,
e logo os contemplarás a voar para longe de ti...

Dar passos atrás,
pode ser ganhar o balanço que contornará um precipício,
elevar uma nova vontade,
é seguramente lançar-se no imprevisto do desejo...

Sonha de novo por ti,
e quem sabe um dia este sentido se possa espalhar por quem dele precise...

custcruz

domingo, 21 de maio de 2017

São de sobra os bons sentimentos nos animais...ditos irracionais...


Eles olham-nos da mesma maneira,
eles acarinham-nos com a mesma expressão,
eles são fieis ao cruzamento que o destino lhes reservou...

Não nos abandonam porque os tempos mudam,
mas sim reforçam a vontade de não os deixar apagar...

Não exigem mais,
e apenas querem certificar a intensidade dos sentimentos conquistados,
envolvendo-se nos sonhos que nos tocam,
chamam seus aos desafios que se pressupunham ser só fruto da racionalidade...

Caminham lado a lado com os nossos anseios,
e triunfam num plano rigoroso àquilo que é pensado,
amam sem a compreensão destas quatro letras,
mas fazem sobrar os argumentos da paixão...

Tu és racional e ele não é,
mas só falta saber qual dos dois melhor interpreta o seu papel no mundo...

custcruz

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Tripés,buracos,e "caldeiradas sem rosto" no Mercado da Figueira...


Estupefacto.
Não é fácil para mim,confesso,ver este "gozo a torto e a direito" com determinados eventos criados no espaço Mercado da Figueira,que pressupostamente teriam razões de ser,mas não se percebem á luz de qualquer esforço intelectual,no que poderá significar,e muito menos,naquilo que poderia ter sido mais um equivoco associado a uma qualquer exposição que evidenciasse uma intenção cultural ou de outro tipo,e que assim justificasse a sua concretização.
Fui hoje,e passado um mês ao primeiro andar do "Mercado do Rio",ou melhor,da "Ribeira".perdão,da Figueira,na obrigação séria de fazer o pagamento no espaço do cidadão,da água que consumi na minha residencia,e apesar de para ali me dirigir triste por pensar,porque há mais de três meses a Empresa Águas da Figueira,tenha feito um buraco à minha porta,sem nunca mais se lembrar de processar o arranjo que não proporcione as quedas dos mais idosos,

ou mesmo deixar de ser local em que animais de rua aproveitam para defecar,e pior do que isso,não respeitar uma linha de acesso por demais trilhada por quem vem com fé da Igreja Matriz,e entretanto corre o risco de a perder momentaneamente.
No entanto,rapidamente mudei o plano da minha introspeção de vida,quando agora,e na frente de uns poucos de tripés,verifiquei no corredor de acesso,a exposição de umas fotos de má qualidade artística,e onde são constantes uns pratos compostos com gastronomia,mas sem se saber de quê,tendo eu mesmo a certeza de que Cozido à Portuguesa,não será,Arroz de Marisco,também não,já Caldeirada associada ao evento do lado,até coloco como hipótese mais provável,mas caramba...não custava nada escrever-se alguma coisa,para que assim a razão hipotética,não prevalece-se sobre a verdade que facilmente se corporiza em especulação.

Quando se sabe da obsessão,que existe em volta deste "retiro do povo",para o transformar em algo onde não importe a sua tradicionalidade,e antes,lhe dê um cunho nas tão afamadas "novas opções",não será estranho,e até de todo muito provável,que associado a pré-campanha eleitorais,e num intuito elaborado de ataques políticos,se tente confundir "alhos com bugalhos",onde "os passarinhos" podem estar à esquerda ou à direita,e "os corvos" para lá do pano que ilude este teatro.
Tenho procurado a Paz,mas nunca abandonarei a causa,não sou demagógico,e nem mal intencionado nas minhas razões,e deste modo,também não sou o tipo de pessoa que só diz mal por dizer,ou porque teve divergências com quem quer que seja,e prova vem a seguir,sem favor,sem receios,e muito frontal como gosto de elaborar as minha opiniões.
Sobre a Eng.Maria João Pombo,que tem responsabilidades na gestão pública deste espaço tradicional,só recai da minha parte,o inconformismo sobre a promoção de um processo que corre na Justiça,e que espero ali se esclareça na verdadeira acepção da palavra,onde inverdades procuram aniquilar a minha vida pessoal e profissional,e que se não forem comprovadas por quem de direito,nunca deixarão pelos meios possíveis de ser rebatidas até que a minha honra seja restabelecida.

À parte este lamentável episódio,nem sou dos que pensam que a ação desta senhora em termos da tal gestão,seja de menosprezar,mas também não entendendo,porque a situações como esta ou outras passadas,não tente consultar quem deve,e com quem também possa esclarecer o que tem no acordo elaborativo do respetivo evento.
Certo,e mesmo certo,é que a mim ninguém me vai calar,como também ninguém me vai manipular para interesses políticos,ou de outra espécie,usando eu sempre do nível de reflexão capaz,onde a ligação direta à minha consciência,só e nada mais,elogiará quem merece,e punirá quem não poderá deixar de o ser,libertando em mim o amor que tenho à minha terra,e ao Mercado da Figueira,tal como ele é,e sonho que sempre seja.
Andem lá,por favor,digam lá que tipo de pratos gastronômicos são aqueles ao certo,é que assim,a quem me pergunta à porta,eu não sei responder...

CUSTCRUZ

sábado, 13 de maio de 2017

Portugal volta a vencer com o poder do sonho...




A vida cada vez mais vive assustada com protagonismos humanos,ainda assim,nos recantos do sonho surgem os sentimentos a dobrar a falta de esperança por quem a ama verdadeiramente.

Salvador Sobral,cantou nas ruas do mundo,e tentou que olhassem para os bons valores enquanto brilhos cintilantes na arte do canto,foi fiel ao que sentia,e persistiu no que lhe enchia o coração,viveu altos e baixos no deambular da sua enorme vontade de ser genuíno,e escutando a magia da sua irmã,deu-lhe a mão...e levou Portugal "ao céu"...
É com pequenos gestos e simples devoções que se une o mundo,que se faz entender tanta coisa que se complica com a natureza dos que só olham para si próprios,pois bem,desculpem lá,mas agora olhem para o Salvador Sobral,e vejam como ele foi enorme na arte do canto,e muito mais ainda no poder da mensagem que nasce através do coração...
Muitos parabéns ao Salvador e há sua mana,Portugal agradece também do coração...

custcruz


Mesmo com vídeo-árbitro,nada impediria o Benfica de ter chegado ao Tetra...



Ainda que nesta época o vídeo-árbitro já fosse uma realidade,nada mudaria na minha opinião.
O clube com que simpatizo terá que mudar fundamentalmente com o seu estilo de lideranças,o outro mais a norte terá que disciplinar o que um dia foi um mimo,e o Benfica porque foi a equipa mais constante nestes dois domínios,fez potenciar os restantes para concretizar o tetra.


sexta-feira, 12 de maio de 2017

Aparição ou Visão,ou a vida,e a diferença entre o bem e o mal...


Discute-se agora,se o que aconteceu em Fátima foram APARIÇÕES ou VISÕES,enfim,sempre aquela tendencia humana para desvalorizar a fé,e limitar o mundo ao destino físico das coisas,muitas vezes alicerçando obcecadamente uma vontade de artificialização do sonho,pela falta de coragem de erguer nas suas reflexões aquilo para o qual não é solução para conquistas retilintas,que acomodam,distribuem poder,e não arvoram os sentimentos.
Sentir,é um ato que imana sempre do silencio,que nasce na confrontação entre o interior e exterior de um ser,onde muitas vezes o exteriorizamos na certeza do que vimos,e em outras,não revelamos a partir dali as dúvidas que nos assolam a alma,resguardando assim a nossa impotência e falta de coragem para lidar com a humildade,e na aproximação para com quem representa o bem,e se importa com quem à sua volta se envolve na conquista de uma felicidade que se alargue ao mundo.

Muitas vezes,assumimos dois mundos,e até nos deixamos convencer pelo mais fácil,o certo mesmo,é que é neste que mais nos esquecemos das dúvidas provocadas pela paz refletiva,e nem tempo evidenciamos para entender se na escada da vida se galgam aventuras só por si mesmas,ou se na vontade de vencer por todos,é que se ergue o acreditar numa luz que vem de dentro de nós,e nos leva espontâneos a direcionar os olhos para o céu.
Uns acredito,mentalizados o façam,mas outros,perdidos se encontram num espaço onde sentem a falta de respostas para o que não se atreveram a percorrer,e quando o fizeram,nunca por nunca também "se deixaram tocar "pela possibilidade de serem surpreendidos.e tudo porque a matemática responde de forma exata,a ciência reúne o conjunto de reações explicativas,e pouco importa se a diferença humana que se regista ao longo do tempo,contraria de todo as certezas de um mundo que cada vez menos se encontra.
Então,algo está mal,certo?


E foi por culpa "do bem" em que não acreditam,ou da falta dele nos seus trajetos?
Pronto,não querem ser católicos,porque outras religiões são mais acertadas,ou mesmo,preferem ser agnósticos,porque não acreditam em milagres,ora porque também pela simplicidade no acreditar,não vivem a diferenciar o bem e o mal,e optam pela tranquilidade das suas próprias consciências?

Vivo ao lado de uma igreja católica,e até ali,é verdade que uns se confundem com os outros,talvez por isso não sinta o desejo de lhe aceder,pela revolta para com uma hipocrisia de formalismo social, que não se coaduna na forma como batem com a mão no peito.
O Bem e o mal,são as duas opções que maior desafio lançam ao ser humano,e se "os rótulos" os dividem,pois que se reconheça a essência das diferenças que os podem diferenciar,e logo,o mundo sorrirá com um brilho alargado e ao encontro de quem o quiser abraçar na verdadeira acepção da palavra.
O Papa Francisco,não engana,porque não esconde,e deixa ler na face a natureza dos seus sentimentos,não desiste,e desafia cada canto do mundo a tornar-se num lugar melhor,vive lado a lado com a humildade,e revela-a como o maior segredo que Deus concede ao ser humano,no respeito que por todos tem,não obriga ninguém a seguir o seu caminho,mas sim a gerar o caminho que sirva a todos.

No desígnio de louvar a fé,de não a deixar sucumbir nas garras do mal,atreve-se e acredita na
canonização dos Pastorinhos,sente aquilo que não se explica,mas que até tem duas opções,vive para um dia morrer na presença,mas deixando um legado que espalhe convictas no reconhecimento a sua devoção com que se entregou na defesa da harmonização do mundo.
Bem vindo,Papa Francisco,ao Santuário de Fátima,que todos os que lá estiverem sintam o bem da tua  "APARIÇÃO",e não a VISÃO que sustente o mal de quem não te consegue "tocar"...
custcruz

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Faleceu Olegário Raposeiro,um Massagista com uma história gravada a Verde e branco...



Disse adeus à vida mais um protagonistas da história de cada um daqueles que um dia se cruzaram para honrar e sonhar com a Naval 1º de Maio da Figueira da Foz...
O Senhor Olegário Raposeiro,era um Navalista de sempre,e enquanto amigo do Senhor Fevereiro,diretor de categoria dos iniciados de 81/82,com que agora de certo se vai encontrar,acedeu ao convite deste seu colega de trabalho na Celbi,assumindo a função de massagista responsável por jovens Navalistas e ambiciosos Figueirenses,que se propunham a virar este mundo e o outro,para conquistar o melhor pico de um sonho numa primeira linha do futebol jovem português.
A Família ia-se constituindo,com uma equipa solidificada com atletas dos "bairros da nossa terra",onde o Senhor Fevereiro era pai do central Alexandre,e eu talvez o "irmão mais velho" dos restantes,foi com grande alegria que recebemos um massagista experiente,dedicado,e de forte espirito solidário,que assim completava o triangulo minimo para se dar vazão a uma orientação,que tomasse conta "dos meninos",pela certeza de que estes jogassem muito,corressem muito,e mais do que isso fossem muito felizes.Olegário Raposeiro,era um homem de missões simples,onde a sua sagacidade de vida,aliada à sua vontade de ser útil para com o que acreditava e o completava,constituía segredo sempre presente para com quem o rodeava,distribuindo conselhos para também quem os quisesse ouvir,como que equilibrando e prevendo desenlaces que fortificavam a formação dos jovens jogadores.
Competente,explicava passo a passo a recuperação para cada "canelada ou entorse".mentalizando no rigor o trajeto para se voltar em pleno,pois antes desta aventura,já ele tomava conta dos da fábrica,e logo assim,a segurança no retorno era mais que certa.
Esta dupla de amigos,que faço questão de não separar em mais este momento triste,eram muito mais do que um Diretor e um Massagista,e isto pelo companheirismo puro com que comigo rodeavam as vicissitudes de vida,ou de um  trajeto em equipa,a que eles tanto se entregaram,e acreditavam com a irreverencia da minha vontade.
Foi muito mais que feliz,esta escolha do primeiro Massagista que me acompanhou neste começo inesquecível,se o objetivo era criar um grupo capaz de elevar a amizade ao segredo da equipa,ele sem dúvida foi um grande obreiro desse propósito.
Paz à tua alma Olegário Raposeiro,abraças-te a Naval com a pujança de quem tanto lhe queria,e nunca mais a largas-te na persistência de a manter bem viva,idealizas-te viver grandes momentos na expansão da sua alma,e conseguiste,lutas-te para ser e fazeres os outros felizes,e agora tens direito ao descanso de um Guerreiro.
Até sempre,Senhor Olegário.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Ser Ultra é amar com a verdade que o Desporto mais precisa...


Ser ultra é amar, 
é seguir os instintos da alma e voar nos limites da paixão, 
é viver cada momento como se fosse o ultimo,
vibrar por um orgulho que parte de cada um, 
e une todos os que o souberem vestir pela cor da camisola... 

É como estar em um só, 
sem nunca o perceber, 
é arrepiar com o desejo de ouvir o som estrondoso de um só eco, 
no desenhar do sonho de uma vitória que agiganta a presença de quem quer e pode entrar dentro das quatro linhas... 

É desfrutar da luz, 
da cor, 
e do envolvimento humano, 
apagando a solidão na vontade, 
e vencer inequivocamente, 
por sentir o jogo como ninguém...

 custcruz

A imagem do menino de Espinho que está a sensibilizar os adeptos

Imagem partilhada pela Espinho TV promete tornar-se viral.

© EspinhoTV/Filipe Couto
DESPORTO FOTOGRAFIA
No dia em que o Espinho subiu aos campeonatos nacionais, esta imagem de um pequeno adepto da equipa está a tornar-se viral.

Não se sabe quem é o menino, nem tão pouco é conhecida a sua idade. Sabe-se apenas que ele é adepto do Espinho e que apoiou a equipa no jogo de subida ao campeonato nacional.
O clube venceu este domingo o Oliveira do Bairro por 3-2, depois de ter estado a perder por 0-2

domingo, 7 de maio de 2017

Cada vez mais me apaixono pelo silêncio, e assim me aproximo de quem desejo...



Hoje dizem que é o teu dia,
já eu nunca senti a diferença para os outros...

Mas se um tenha que ser,
pois que brilhe tanto ou mais, 
e me afague como nunca o deixas-te de fazer...

O tempo passa.
 e é em ti que cada vez mais me revejo,
 na procura da luz dos teus olhos,
lanço fieis os meus ao que sinto e me ensinas-te...

Mãe,
estás aí,
não estás?

Eu sei que sim,
já que o silencio é uma página enorme de um livro por decifrar,
pois diz-nos o que queremos,
se ao espalhar da alma não esquecermos como foi,
se ao tocar do coração percebermos aquilo que nunca pode deixar de ser...

Que filosofo louco tu crias-te,
mas sempre entendes-te na teimosia de um só ser,
alertavas-me para os trilhos malfadados,
mas sorrias do atrevimento de um só momento...

 A coragem só nasce e se afirma ao longo da vida,
e se tu tanto soubeste o que isso era,
como me poderias negar o destino que me desenhava o sonho...

O sol não desiste de brilhar,
ainda que o coração se entristeça de quando em vez,
como sempre lá estás quando te procuro,
e encontro a paz para um novo recomeço...

Sou forte,
muito forte,
vá-se lá saber porquê...

quarta-feira, 3 de maio de 2017

O horto municipal e o Mercado da Figueira,ou um fado muito para lá de há 20 anos...



Passaram-se 4 anos,e o espetro do fim da tradicionalidade no Mercado da Figueira desenrola-se com as previsões que estabeleci há muito,e através de observações onde a perspicácia nem precisa de ser muito limada. Basta agora,como exemplo,ver uma catrafada de escroques ditos políticos,usarem e abusarem da defesa do horto municipal enquanto zona verde,assumindo uma postura fundamentada num modo de promoção social, onde se veste uma camisola estampada com a palavra CAUSA,e se insinuam em inverdades emocionais,naquilo que não lhes traduz o que lhes vai no coração,nem na alma... Pretendem deste modo,fazer passar um nobre gesto,como que imanado do instinto Figueirense,mas que mais não é,do que de "Figueirinhas",tão bons como os de outras localidades,que acabam por não "o ser" de nenhuma,por não resistirem a qualquer conveniente "enrolar de bandeira"... Os tais alguns a que me refiro,porque não generalizo no desespero,são os grandes "doutores das lojas âncora",onde habita o imperial desejo de que para cumprir "as suas palavras" com "OS SEUS MENTORES",possam agora dar uma imagem falsa,defendendo o improvável de outros tempos,mas quem sabe,também retomando em tempo oportuno,e numa visão exercitada em rotinas perfeitamente fáceis,essa desvalorização,e dando seguimento à história do costume,"...que mais tarde ou nunca tudo se endireita...",assim o trilho seja bem distribuído por quem melhor interpreta,e não se esquece dos amigos...
Curiosa,é a filosofia adotada por alguma gente que só hoje tanto se preocupa com a zona histórica da Cidade da Figueira da Foz,e mesmo a invoca na sua defesa,em modos que um dia não os sensibilizou quando confrontados por outros,que com facilidade previam o descalabro do comércio tradicional,a desertificação da zona ribeirinha,e o consequentemente apagão de uma das suas melhores atrações turísticas.
Pior do que isso,saltam por entre "um silêncio cego",que não vislumbra,nem se motiva pelo ataque impiedoso que se corporiza em volta do Mercado da Figueira,e até o acham um poiso muito interessante,para agregar as tais "âncoras loucas",onde "o custo zero"para o privado não parece problema,e onde ao desaparecimento do já único "Retiro do Povo",se possa abanar a bunda e comer à fartazana,ainda que,deixando os corredores verdes sem uma ligação natural e histórica,com um espirito solidificado há mais de cem anos,e que o certifica na essência...
Desta forma,pois que o Eng.Silva vá para o Inferno,porque deu a quem não o devia,e o RIO que secunde o Mercado,já que por cá até temos mais que uma RIBEIRA.
Copiar,copiar,é o destino dos BURROS,sem preocupação com os prazos,pois o que interessa é a inauguração,e a queda calma da euforia,não dando importância há intemporalidade das brilhantes conquistas do passado,mas precavendo uma reta final onde as orelhas lhes façam sombra,sem que "o vento" as incomode...
Quanto ao resto,está fácil,ainda há dias ouve uma licitação de bancas no Mercado da Figueira,e tudo "correu bem",porque antes da sua concretização,se concederam "trocas e baldrocas"com um espirito amigo,onde certas bancas mais potenciadas comercialmente foram cedidas por outras muito mais escondidas,o que suscitou "um enorme interesse" por parte de quem na novidade se lançá-se ao encontro do que restava.
Neste concurso,onde por acaso foi "sui generis"a divulgação na comunicação social,inigualável mesmo desde a inauguração do Mercado,talvez no intuito de que os pretendentes não se confundissem muito,ouve bancas que não foram a licitação,ainda que sejam muito interessantes,ou outras,como os módulos,que também por lá não apareceram,quem sabe se para precaver e temporizar essa intervenção,perante a ameaça de certos "bonecos de corda",a quem lhes foi concedido espaços injustificados e a custo zero,e agora se preparam para lhes "apagar a luz"...
Anda ainda no meio de tudo isto uma história com 20 anos,dizem uns,anda isso sim,a mesma história,mas com um pouco mais do que essas duas dezenas,digo eu,e assim,como logicamente talvez seja possuidor de mais matéria sobre o assunto,ando a pensar escrever um livro,onde pela divulgação se disponha o Casino da Figueira,a ceder uma das suas salas para o apresentar.
Enfim, o que está a dar para apresentações de eventos e afins...

Custcruz

terça-feira, 2 de maio de 2017

Voando nas Asas do Tempo...


Foto de Custodio Cruz Cruz.


Calmamente vou caminhando na vida,dia para dia as minhas razões embalam o mais que suficiente para ser feliz na companhia dos que não me abandonam,nos "píncaros da lua" sobrevoo as derrotas,e o que mais quero não perco de vista:





"...Ser eu,
e vencer por mim mesmo,
reconhecido sem favores,
e dono de mim próprio..."
custcruz

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Primeiro bolo na história da Associação Naval º de Maio...sem a data de Aniversário...



Estão na moda "os lapsos" para justificar isso mesmo,o esquecimento daquilo que é impensável esquecer...

Sim,eu não estive lá para ajudar...
Sim,muito fazem os que assumem tempos tão difíceis para o clube...
Sim,mas custa muito deparar com o vazio ainda que doce,em um branco que apaga ou esconde a história da 

Quarta coletividade mais antiga de Portugal...