Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

domingo, 28 de agosto de 2016

Andreia Cruz,um sonho que se vive segundo a segundo,e se festeja com o brilho do destino...


Um dia diferente dos outros,
mais uma página pautada pelo sorriso que me encanta,
numa luz que me fascina num deslumbre sem fim,
e me faz distinguir um amor de tantos outros,
que o são,
mas não como aquele que tomou conta de nós...

Caminhas a um ritmo que não me é estranho,
fazes a soma dos desejos fiel ao que nunca queres largar,
soltas uma lição só identificada por quem a sente,
se conhece,
e não abdica de ser um só...

Tem vidas que são assim,
marcam-se umas nas outras,
e percorrem sonhos que não se podem despegar,
porque acreditam numa solidariedade tão bela,
que nasceu pura,
e se espalha numa áurea sem fim...

Parabéns Andreia Cruz,
receava que hoje não consegui-se escrever nada para ti,
mas com este pouco senti-me bem,
longe de tudo o que me atormenta na vida,
e bem mais perto de quem me enche o coração...

Custcruz

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Divagando com uma bola nos pés...


Quando nos atacam de forma plena e confiante,só uma enorme concentração nos precavê da proximidade da derrota,na certeza porém,que entre o inspirar e o expirar dos dois lados,ai de quem se convença que tem todo o oxigénio ao seu dispor,porque respirar tem uma sincronia feliz,e deixar de a ter,é perder-se em certezas que nunca mais se confirmam...

Custcruz

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Filosofando em volta do Departamento Jurídico da Câmara Municipal da Figueira da Foz,mas não só...

Perdoar?

Não é difícil para mim,mas chegam momentos na vida onde ao dom de quem acredita no bem,se precipita o dever de deixar que o tempo corra,e com as incidências de uma vida escolhida por cada um,se determine naturalmente se a maldade também ensina quem por tão convicto pensa saber muito,mas com tão pouco ou nada se depara,naquilo que escondeu dos outros e projetou só para si...
Em 2008,eu já sabia quem eram as "ovelhas ranhosas" do Mercado da Figueira,e não porque eu seja mais inteligente do que quem quer que seja,mas sim,porque a história não perdoa,e arrasta consigo todos os feitos e defeitos deste pequeno mundo,onde à semelhança do universo de vida,os desesperos transformam almas de bem,em perfeitos corsários do mal.
O que me está a acontecer,era algo que sempre admiti como o mais provável,por condicionado aos princípios de uma consciência que não se atreve a trair ninguém,ao ponto de abandonar o barco,quando tão avisado tenho sido,e que tanto teria a ganhar com esse afastamento.
Como diria o meu amigo e já falecido Pedro Simão,"...passa a bola...e foge...",e como o entendi eu,seria lembrado pelo que construí,e não ao lado de quem falhou e vai continuar a falhar...
Ainda sim,vou continuar teimoso no que sinto e me completa,tentando perdoar quem não o merece,e caminhar na esperança de um milagre que contrarie aquilo mais receio.
Quanto ao Departamento Jurídico da Câmara Municipal da Figueira,sugiro humildemente que volta,volta e meia,venha aqui ao meu blog,pois nas entrelinhas das palavras também nos exercitamos nos sentimentos,e quem sabe até sem se dar por ela se cresça valorativamente numa intelectualidade sem os mofos dos gabinetes,e o vício do diz que disse...

Custcruz

sábado, 20 de agosto de 2016

Na promessa de quando este processo terminar,o revelar na integra à opinião pública...


Que tipo de advogado tenho eu que escolher para requerer a impugnação do processo camarário?

Ora bem,com 800 euros já como ameaça consumada,mais se pode agravar se quiser escolher alguém da "fina flor" da advogacia,e assim,se a coisa "correr mal",não sei se estão a ver,pior ainda poderá ficar,e mesmo que corra bem,não pago à Câmara,mas pago ao causídico,e logo da despesa não me livro eventualmente a uma proporção de certo ainda maior.
Sendo assim,e porque à minha insuficiência econômica se junta como refere pomposamente o departamento jurídico da Câmara Municipal,o meu espírito FILOSÓFICO,acho que vou optar por um qualquer estagiário que a Ordem de Advogados me possa colocar ao dispor.
Pronto,a maioria dos que joga semanalmente no PLACARD,neste momento já palpita em uma só expressão : JÁ FOSTE...
Será?
Mas porquê?
Pode ser que não,quem sabe...
Afinal,vamos acreditar que também há justiça aqui por perto...

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

800 EUROS de intimidação tipo Fascista,ou a Câmara Municipal da Figueira da Foz no seu melhor...



Câmara da Figueira,com processo interno inventado vergonhosamente,determina uma multa de 800 euros contra mim.

Com uma argumentação falsa como tudo o que o proporcionou,baralhada,inconsistente,e muito mais que repugnante,ainda assim vou tentar acreditar que seja mais que suficiente que esta realidade presente no documento,em sede dos tribunais civis faça acreditar que ainda haja justiça em Portugal.

Quem me ataca,quase toda a gente sabe,mas a seu tempo se desvendará a totalidade da quadrilha,e enquanto cada um de vocês se questiona da razão,adianto eu que se trata da mesma de sempre,perfeitamente identificada,e com histórico definido na diferença do que é gostar da FIGUEIRA DA FOZ como eu gosto,e defender os seus valores como eu defendo.

Estou a sofrer,não escondo,começo a ter vontade de responder instintivamente,mas Deus vai estar comigo,e vai me ajudar a consagrar mais uma vez "a estrela" de uma vitória que sempre me tem acompanhado,e assim me ilumina a consciência.
Outros também assim fossem,que sendo um pouco filósofos,como me tentam ridicularizar no tal documento final,e de certo as suas colunas não "tombariam" a espaços de vida,e muito menos até os seus passos se orientassem sem as suas vontades pessoais.
Se pensam que me vão calar,esperem pelas respostas,e estas serão bem elucidativas e adequadas a quem foi atacado de forma deliberada,cobarde,e com objetivos de aniquilação futura.
Os 800 euros?Para mim é mesmo muito,mas como sou de boas contas,e se tiver que ser,cá estarei para consumar o pagamento.
Até lá...vou provar a mim mesmo que sou muito forte.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Dias 12,13,14,15,16 de Agosto e ...Mercado da Figueira sem direito a multibanco...

Em pleno Verão...0 ZERO EUROS


Pronto...eu sou um insurreto,o mau da fita,aquele que se manifesta sem razão,de forma fútil...e quiçá pretensiosa,ou seja :

Sou o único que se queixa!

Tenho prazer em estar contra quem de direito,sou manipulado por forças contrárias,deixo-me levar por recados que me levam ao módulo,por "fotógrafos exibicionistas" que me tentam motivar na insubordinação,enfim...

Realmente sou um caso perdido...

E vejam só...ainda por aí há quem diga que sou inteligente...



sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Nascer 50 anos depois...

É a história que está a chocar não só a Índia, mas o Mundo. O elefante Raju foi abusado, espancado e obrigado a viver em péssimas condições durante 50 anos. Quando foi libertado, no na sexta-feira passada, os seus ‘salvadores’ afirmam que o animal chorou de alívio.
A organização por detrás desta missão de salvamento foi a Wildlife SOS, criada em 1995. Raju tem cerca de 50 anos e foi capturado quando ainda era bebé, tendo sido vendido várias vezes ao longo da sua vida.
© Fornecido por SOJORMEDIA Capital S.A. Forçado a trabalhar como animal de carga, o elefante ficava 24 horas acorrentado, sendo obrigado a passar a noite em condições degradantes. Estas correntes deixaram-no com várias feridas.
Foram precisos várias semanas para organizar e realizar o resgate de Raju, mas este acabou por acontecer graças a 10 veterinários da Wildlife SOS, 20 membros da Comissão Florestal daquele país e dois polícias.
Assim que se deu o salvamento, o animal mostrou que estava aliviado por finalmente sair daquela situação: “A equipa ficou boquiaberta quando viu lágrimas a correrem-lhe pelo focinho durante o resgate”, disse Pooja Binepal, porta-voz da Wildlife SOS, ao Mirror. “Foi incrível, percebemos logo que ele sabia que estava a ser libertado. Os elefantes são majestosos e muito inteligentes. Nem dá para imaginar o que este animal passou ao longo de meio século”, afirmou, desta vez ao Huffington Post. 
Raju foi levado para o Centro de Tratamento e Conservação de Elefantes, em Mathura, Índia. Tendo em conta que os elefantes costumam viver cerca de 70 anos, a Wildlife SOS espera que este animal ainda consiga gozar pelo menos 10 anos da sua vida em liberdade.
A liberdade é um sentimento que nasce por si mesma,e que nunca morre mesmo que condicionada por outros...
O sofrimento desmotiva a vontade,mas o sonho sempre pode surpreender a qualquer momento,assim o mundo se conjugue com o instinto do coração...
Eu sou feliz com as minhas frases,com os meus pensamentos,e também com as lágrimas de quem volta a nascer mesmo que seja cinquenta anos depois...
Custcruz

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

O mundo das casualidades e o respeito que me dispensam...




Como qualquer concessionário do Mercado Engenheiro Silva da Figueira da Foz,tenho direito a uma caixa de correio,com o meu nome,e numero do Módulo Comercial a que pertenço.
Assim sendo:

Custódio Nogueira da Cruz
Módulo 35
Rua Eng.Silva,18

Já há uns tempos para cá,me vão acontecendo "casualidades" tão ensombradas,que por tão hipoteticamente "bem jogadas",as coleciono com muito amor e carinho,pois o respeito com que provavelmente me tratam,ou não,e me têm em conta,são atenções que nunca esquecerei até ao dia em que possa retribuir,perante quem pensa que na essência deste eventual jogo,até se pode esconder no preceito de um vencedor,que só o é,se me conseguir colocar "a guerrear" com quem lhe possa desenhar o verdadeiro V de uma vitória sem festejo visível,mas bem conseguido no objetivo a que se propõe.
Assim,a LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO,enviou uma carta para uma Associação do Mercado,mas extinta há uns tempos,e da qual eu já não faço parte há mais de 4 anos,fazendo o seu peditório de ajuda nesta luta tão pertinente em termos sociais quanto humanos.
A morada "que resolveu"colocar foi a seguinte:

AS.COMERCIANTES DO MERCADO ENGENHEIRO SILVA DA FIGUEIRA DA FOZ
RUA ENGº SILVA-MERCADO MUNICIPAL Nr. 28
3080-150 FIGUEIRA DA FOZ

Esta semana,os CTT da Figueira da Foz(ou não?),colocaram a carta na minha caixa de correio.
Claro está,se eu já tinha sido Presidente desta Associação "em tempos de mil novecentos e carqueja",porque não "tentarem(!!)" a chance de encontrar a dita Associação,através do módulo 35,e do numero 18 da Rua Engenheiro Silva...
De certo que foi um lapso a troca numérica entre o 18,o 35...e o 28,que por acaso é o numero da minha porta na Rua das Parreiras ,onde moro,e não existe Associação nenhuma...
É lógico que eu sou um desconfiado,e mesmo um maluco varrido,pois tem "tudo a ver" uma morada com a outra,e mesmo no rigor com que os CTT agem,até também podem cometer um erro...zito,ou não,pois...quem sabe não foi colocada pessoalmente por algum elemento da distinta e credível Liga Humanitária,por um tal lapso mais que evidente,mas diga-se em abono da verdade,não concludente...


Mas o 28,
é que não dá com nada,
a não ser com "a outra casualidade" de quando no princípio desta luta pelo Mercado,
e no acaso temporal do falecimento da minha MÃE,
lhe foi destinada no cemitério e pelos serviços da Câmara Municipal,
esse mesmo numero 28,
que acho que já o mencionei aqui,
e é mesmo o numero da porta da morada de família,e na Rua das Parreiras....
Enfim,
casualidades refletivas,
ou não...
quem sabe...

O quê,o quê?
Se o meu PAI também já faleceu?
Sim,infelizmente já...
E em que campa do cemitério ficou?
Então!!!
Na 28 ...
Casualmente,claro ficou...
É que desta vez,não fiquei com qualquer dúvida...
Bem,mas que ando baralhado com "os números",lá isso ando...

A mentira e os mentirosos,a verdade e a justiça...



E quando a JOÃO andou à volta da igreja de vela na mão,manifestando fé perante a nossa Senhora de Fátima,que entretanto nos visitou na Igreja Matriz da nossa cidade...
Afinal,
foi tudo uma questão de um sono em entremeio,
e um outro acordar para a vida quotidiana,
e logo facilmente deixou derreter as suas convicções,
e apagar a luz que pressupostamente a guiava...



Ser mentirosa não dá com nada,
ser subserviente à mentira sugerida é oferecer os princípios ao Diabo,
renegar uma fé purificada na verdade,
é ficar só,
ou acompanhada com o sofrimento de quem a ainda assim lhe quer,
mas arrastados pela vergonha caminham a seu lado...



Quem sabe se o trajeto programado para a manifestação de fé,
se até fosse por outras artérias da cidade,
assim alongá-se a meditação,
e não motivasse a aposta na aparência,
em detrimento do brilhar da consciência... 

domingo, 7 de agosto de 2016

Do lado de lá do mundo...




O final que não se deseja...passo a passo e sem remissão de pecado...
Porque sois cínicas...e vós mentirosos?


sábado, 6 de agosto de 2016

terça-feira, 2 de agosto de 2016

E com uma "chicotada psicológica",a Câmara da Figueira já não lidera o projeto "do quarteirão"...






















Fazer "deduções" também é um exercício intelectual aliciante,e mais do que isso,no desconcerto da "coisa",entre o engendrar de uma história capaz,ou o encontrar de uma verdade admissível,tudo se pode jogar num campo hipotético,mas onde,e ainda assim,o senso comum há muito se revela por demais preenchido,pelo respetivo conhecimento acumulado ao longo do tempo,que só esquece a quem interessa,ou é obrigado a ignorar...
Pertinente mesmo,seria para quem é Figueirense de coração,e que por isso não se revela insensível ao que ama,ser respeitado com uma explicação sobre o envolvimento de intenções públicas,que não foi de certo por acaso,que se afastaram de um empreendimento com duas vertentes económicas distintas,e que até pelos seus meios,fez "a troca e baldroca" das faixas que publicitavam algo muito diferente das colocadas de "ontem para hoje".
Se não vejamos :


O certo mesmo,e como centro das incógnitas,está a Liderança,que afinal de contas poderá determinar muito da história futura de um "quarteirão de ouro",onde se espera que nem "um prego seja roubado",e onde a espontaneidade do sonho,o possa promover na necessidade de dar àquela zona da nossa cidade,uma dinâmica que sirva os pobres e os ricos,e não se transforme em mais uma negociata com os interesses da Figueira e dos Figueirenses,bem a leste do seu orgulho e brilho próprio.
Como o silencio tomou conta da imprensa local,no que diz respeito também a esta matéria,e como ninguém "de direito" me vai passar cartão,apenas desabafo convictamente:
A mim,ninguém me cala,nem com processos pressupostamente administrativos,mas de "cariz criminal",que mais não são do que perseguições doentias e manipuladas pelos que cada vez mais se revelam como os novos fascistas do momento,e que pensam que me inibem de ser quem sou ,e como sou...
De resto,até nem se está a falar do Mercado Engenheiro Silva,mas como somos "vizinhos" dos empreendedores,e "os pokemons  costumeiros" agora só pregam com "as cordas medidas",fica o insurreto e odiado por quase todos,atento às vizinhanças,não vão estas saltar para o lado de cá,e encher o mercado de guerrilhas calculadas,enquanto o grande projeto não se define com a luz que o haverá de iluminar de cima para baixo,e não prolongando-se até há foz.
Ou sim,quem sabe,assim houvesse bom senso,e amor à nossa 
FIGUEIRA DA FOZ...

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

A alma entre o que quer e o que não deve esquecer...,



Ser fiel á vida é caminhar na sua sombra,
respeitando-a no tudo o que nos dá,
amando-a por nos proteger do tanto que nos pode fazer mal...

É com o sonho que abalamos no risco do deslumbre,
ainda que o segredo que nos sussurra a cada canto,
se conjugue com a diferença que existe...

Querer mais para além do que se consegue,
não é pecado que nos apague a memória,
mas esquecê-la na indiferença pelo que a é,
é começar no zero e acabar num vazio...

Num vazio a que se resiste no tempo,
mas acaba num deserto com um fim cada vez mais longe...

Custcruz