Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

sexta-feira, 29 de julho de 2016

E depois do "prego de ouro" do Cabo Mondego...foi a vez da "tela do empreendimento no quarteirão "se sumir"!!!




Ó...então...o que se passou?


No Diário de Coimbra,não vem nada,no Jornal "As Beiras", idem idem,aspas aspas,na "Voz da Figueira",talvez para a semana saia alguma coisa,e nem nos "Blogues irreverentes" cá da terra se tocou no assunto...enfim,também "é verdade":
Que interesse jornalistico terá a colocação duma revelação como esta,ou mesmo a retirada da eventual intenção?
Ora vejam lá...agora ia-se estragar papel a "mexer em velharias",e a dar importância ás palmeiras que "morreram" com o escravelho...
Realmente....
Quanto ao "prego de ouro" do Cabo Mondego :


Pois...das "faixas"...é que não se sabe mesmo nada...
É isso,e que interesse tem para a cidade aquela zona do Bairro Novo ?
Só eu mesmo...

terça-feira, 26 de julho de 2016

Enquanto o tempo passa...



Mau mesmo é quando o tempo pára.
ou pacientemente espera por um fim...

A vontade alonga-se sem rumo,
e a esperança dissipa-se num vazio de desilusão...

Os sonhos repetem caminhos,
e não encontram o eco que os faz vibrar,
a luz reflete-se num só espaço,
e a solidão toma conta de quem quer que seja...

Ante o silêncio refletivo,
só os ponteiros sonorizam a presença,
a revolta refugia-se no corpo,
e alma é massacrada pela injustiça do mundo...

A culpa distribui-se pelos sorrisos provocadores,
e amontoa-se nas farpas avassaladoras,
o ser deixa de o ser,
e fica à mercê de um destino sem a justiça da vida...

Ou sim,
quem sabe...

Custcruz

domingo, 24 de julho de 2016

A mentira e os mentirosos,a verdade e a justiça...


Em que estou a pensar? 

No nada que me preenche como resposta,porque muitas vezes mais vale estar a leste da vontade,do que a rebater nas revoltas instintivas. 
Entre a cadencia com que respiro,prolongo alguns espaços na procura de uma inspiração que me afaste dos «demônios»,de seguida,expiro profundamente como que tocando um "vale de acerto" que me esclareça quem eu sou,como sou,e melhor do que isso,como devo valorizar a minha consciência.. 
E ainda que lidar com a injustiça da mentira da João,e do Zé e companhia,não seja "pera fácil" para mim,acredito que é no vazio das soluções pragmatizadas,que paradoxalmente se pode corporizar a resposta mais capaz. 
Eu não sou ninguém,apenas protagonizo na vida o destino dos leigos,não sou um "ÁS" a interpretar,ainda que a "justiça" nunca se devesse catapultar em direção a esse desidrato intelectualizado,mas sim,manter-se fiel às evidencias,sem se deixar enganar pelas "convicções" que tão bem vestem a mentira. 
Pronto,já sabem no que estava a pensar... 

Com tempo para tudo...e mais alguma coisa...


Um bom Domingo também para si...

custodio nogueira da cruz custodio cruz
Trabalha em conta propria
Frequentou Escola Dr.Joaquim de Carvalho da Figueira da Foz
Vive em Figueira da Foz, Portugal
1 429 759 visualizações

domingo, 17 de julho de 2016

Afinal não há impossíveis...


Esforço público . privado...,

Pensamento de um insobordinado:



Também é o silêncio uma das maiores paixões que encontrei na vida,
talvez porque não tendo a infelicidade de ser cego,
ainda mais valorize a vantagem do arrepio sensorial da mente...
Custcruz


Espera aí...
mas afinal a que "quarteirão" se referem?

Calma...
até pode ser «bom»...

sexta-feira, 15 de julho de 2016

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Olhares que não enganam...


Tem olhares que já não o são,
por fixos se precipitarem num único fim,
não toleram,
não recuam,
não equacionam mais o que está mais que visto...

Centram-se fixos na desilusão,
e escolhem um modo que se envolva num ponto final...

Fazem refletir o previsível,
e não se iludem com brilhos despropositados,
lançam farpas ameaçadoras,
e progridem numa só intenção...

Desafiá-los,
é um ato de loucura ou desespero,
respeitar a sua convicção,
é não arriscar no vazio da vida...

Custcruz

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Desabafo tão imprudente quanto desafiador...



Por vezes os «espertos» do meu desencanto,retardam decisões em favor de conquistas pontuais,fazem bailar dados artificializados na mentira,mas esquecem-se de atender a verdades que se soltam na medida delimitadora da imaginação,ignoram silêncios ponderados da mente,confundindo-os com o que de melhor lhes convêm,descontraem-se numa presunção de entendimentos,mas não reservam à luz da humildade a possibilidade da surpresa.
Como não sou esperto,nem inteligente,alguma coisa hei-de ser entre uma realidade e outra,e por isso,sigo o instinto que me criou,e no fim,quem sabe até sorrirei com o pouco que o mundo de hoje dá,a quem genuinamente o vive de consciência tranquila.

Custcruz

domingo, 10 de julho de 2016

Portugal Campeão Europeu 2016 :Como eu vivi o que já esperava...

Tudo poderá correr bem...é preciso continuar a acreditar...por vezes há males que vêm por bem...
Agora que a França estudou bem o esquema...lá isso estudou...e nem esqueceu do joelho do CR7...
É preciso é saber fazê-las...o cinismo do mundo agradece...

Pois é...e não é que adivinhei!!!!!!!!!!!!!
Contra «tudo» e contra todos...


Foto de Custodio Cruz Cruz.
Comentários

Campeões Europeus 2016



França / Portugal : Ou o desafio perfeito para quem é Português...


Se formos coordenados na vontade,
e ao labor individual lhe soubermos acrescentar a alma de uma só equipa,
poderemos completar a história e colocar no topo «a estrela» que há tanto merecemos.
O segredo,
vive dentro de nós,
e manifesta-se instintivamente numa proporção direta ao desafio que mais nos motiva,
ou seja,
aquele onde nos «roubam» a credibilidade,nos minoram as mais valias,e fazem duvidar do nosso controlo emocional.
Nunca a alma lusa perde por medo,
e pelo contrário,
 até se poderá exceder na confiança,
e assim não navegar como só nós o sabemos fazer,
mas quando se recusam a olhar para os brilhos inegáveis do nosso espírito guerreiro,audaz e patriótico,nunca ouve nem há «Adamastor», 
que nos pare na convicção,
de que só a vitória nos serve para honrar aquilo que somos como Povo de feitos assinaláveis...


sábado, 9 de julho de 2016

Emoções repetidas:France adopt the Viking Clap at Stade Velodrome!



As "imitações" são caminhos de perfeitos ignorantes,
que por perdidos se erguerem em frustrações,
não se enxergam no ridículo da despersonalização existencial.

Custcruz

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Ainda aqui estou...



A alma de cada um,não se escolhe,
desfruta-se...
Assim se saiba não nos afastarmos de nós próprios...
custcruz

quarta-feira, 6 de julho de 2016

E na companhia «do calimero»,lá chegámos á final do Euro 2016...

Ainda que cada um com a sua personalidade,lá trilharam o destino dos que se entendendo numa só equipa, e numa só família,suplantam as críticas mais desconexas sob o ponto vista prático de um jogo que nasceu «na rua»,e onde os teóricos de fora para dentro,sempre se fizeram valer pelo que são,e não pela essência da paixão que tanto os contraria no palpitar das certezas que nunca «os arrepia»,e apenas os decepciona numa vaidade alicerçada em uma frieza de argumentos confrangedoramente incapazes... 
Portugal estás na final do europeu 2016,para alguns sob o efeito da sorte,e até dos milagres mais recônditos da vida,e isto por uma tal confusão de sentimentos,que só pode ser destrinçada por quem sabe e sente um chamamento oriundo de um intimo que nada tem a ver com o sobrenatural,mas sim com abnegação,o crer e a vontade com se olhando para dentro de nós,se descobrem metas destinadas a quem as merece,e não aos que as projetam perdidos em labirintos onde o Patrício não iria ser decisivo em nada,o Fontes e o Bruno não conseguiriam suster as investidas britânicas,o Rafael não iria «guerrear» na defesa do seu inegável valor,o Renato não mostraria o perfume majestoso do seu talento,o Nani não justificaria o belíssimo contrato conquistado nesta semana do euro,e nem o Ronaldo iria dar aquele cabecedão nas críticas estúpidas com que o brindam a torto e a direito. 
Sem deslustre para os demais,apenas personalizo nestes exemplos a prova mais do que certa,de que afinal Portugal em vez de não ter nada para estar na meia final,palmilhou isso sim,com os ajustes humildes de quem sabe ambicionar,o caminho que agora o levou até ao palco dos eleitos,e onde se saberá quem vai ser o novo Campeão Europeu. 
A seleção liderada por Fernando Santos,contra o Pais de Gales,foi igual a si própria,sendo consistente na sua ligação entre os setores,e fazendo uso da atitude aqui já desmistificada,atacou quando tinha que atacar,defendeu quando tinha de o fazer,e deu azo à sua maior capacidade criativa para marcar a diferença entre quem sabe,e quem meritoriamente o tentou contrariar. 
Soube lidar com os índices psicológicos devidos,não se perdendo em medos que só traem quem se deixa conquistar por estes,silenciando «os cânticos de sua majestade».e elevando os instintos lusos ao rubro,com a repetição de uma história, que nos é tão peculiar no destino com que dobramos qualquer «cabo de tormentas». 
Não me digam agora que não temos nada para estar na final,e mesmo que o façam,cuidado,porque os nossos «putos endiabrados»,cada vez mais estão danados «para a brincadeira»... 

Então até Domingooooo

terça-feira, 5 de julho de 2016

O vício de um insubordinado...


Nada melhor do que uma sombra, 
algo para observar,
e viver a vida a pensar...

Custcruz
Mas também os há que não querem que se pense...

domingo, 3 de julho de 2016

Pensamento do dia...



"...é olhando para cima que quem nos quer mal se perde no nosso rasto...

 custcruz

Ultima hora: Alemanha e Itália "bombardeiam" a França...


Alemanha e Itália bombardeiam a França,depois de 70 minutos em que os Germânicos se evidenciaram mais afoitos na procura da baliza,a alma do catenaccio italiano soltou-se nos restantes 20 minutos para conquistar o prolongamento de uma dita final antecipada,sob a batuta de um tal Pellé...lá chegaram ao empate providencial... 
"Os matulões" no entanto regressaram depois e de novo ao comando do jogo,mas desperdiçaram ensejos talvez surpreendidos pelo amontoado de defensores junto das redes transalpinas,e ainda que fossem a melhor equipa sob o ponto de vista moral,caíram no desafio das grandes penalidades. Ambas as equipas surpreendem tudo e todos,e num perfeito e conjunto"atentado terrorista",dispararam vários "morteiros" sem ponta por onde se lhe pegue,e atingiram vários prédios circundantes ao Estádio. 
Entre a teimosia no ver de quem falhava mais,lá se decidiram em atirar a Alemanha para a frente,dando-lhe um favoritismo ao ceptro final,que tem muito para se confirmar... 
Já quanto a certezas com essa possível realidade,e com os índices psicológicos revelados nos pénaltis,quem sabe alguma surpresa ainda seja possível... 
Quem sabe!!!!!!!!!!!!!!!!!

sábado, 2 de julho de 2016

Futebol Britânico versus Futebol Luso...nos trilhos do Euro 2016...


Futebol britânico no caminho do futebol luso,ou a genuinidade "de uma marca" traduzida fielmente por um País de Gales,que pouco ou nada tem a ver por exemplo com a descaracterizada Inglaterra ,que por força do intercambio económico institucionalizado também no mundo do futebol,tem mais estrangeiros nas suas equipas a "rendar o jogo",do que "seus seguidores" a definir estratégias retilíneas e fundamentadas em elaborações onde a velocidade de execução,é o segredo,e a impulsão "a mestria do sonho"... 
Misturar filosofias,é um exercício aliciante,mas complexo quando na mente de cada jogador se desenrolam racionalidades motivadas pelos instintos mais intrínsecos do ser,e quem não os souber moldar e conjugar em equipa,perde-se em labirintos onde a bola anda "a bailar" sem objetivo capaz... 
E isso passou-se com os Ingleses,e não se passa como o País que gosta de jogar para os "três pontos",agora com mais qualidade técnica,e ainda que "de pontapé para a frente",mas refinando mais os 3 ou 4 toques,que facilmente fazem avançar a investida que faz trair mesmo os mais apetrechados... 
Ainda sob o prisma psicológico,eu prefiro o País de Gales à Bélgica,pois se estes sabem abrir brechas(desequilíbrios) com os apoios envolventes,e por isso criados no momento,os verdadeiramente britânicos, sabem-no fazer mais previsivelmente,mas como digo a exigir muita concentração na sincronia setorial... 
Olha Pepe,ensina lá "ao people" o que se tem de fazer para não teres tanto trabalho no jogo aério,e logo se verá como o esforço dividido por todos,pode impedir golos como o terceiro contra a Bélgica,em que uma equipa "brilha" com a posse da bola,e outra "cintila" com o sabor dos golos que os levam às vitórias... 
...
Então...até lá... 

Custcruz

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Portugal contraria os teóricos...e chega às meias finais do Euro 2016...

Cinco jogos,cinco empates no tempo regulamentar,com direito a meias finais no Europeu de 2016... 
Por vezes apetece-me recorrer "ao silêncio" perante comentadores que por aí aparecem,e pior ainda,que se expõem de forma doutorada na comunicação social,e muito porque me conseguem "fazer sorrir" de tal forma,que nem instintos de resposta me provocam,na razão direta da burrice,ou pretensão explanada,ou mesmo agarrada a vínculos clubísticos que distorcem a verdade de uma Paixão,que não se quer manietada por pressupostos ilógicos e doentios. 
Com a Islândia,porque eram toscos,devia Portugal massacrar e se preciso golear,para justificar uma diferença do "tempo da Maria Cachucha",onde por lá era que existiam os nabos. 
A Holanda caiu,a Inglaterra tombou,e o "portuga Fernando",era o escolhido para a crucificação... 
Depois temos mais "uma aventura" com um jogo em que atirámos duas bolas ao poste,falhámos um penalty,perdemos umas tantas oportunidades,e "os espertos" na matéria,achavam que tínhamos que atacar mais,ser mais positivos em termos ofensivos,e mais não sei quê... 
Enfim,muito fácil esquecer que um selecionador também tem que gerir um grupo de atletas que acabou de findar uma longa época, e que até já se preparam para outra... 
Pois se assim não fosse,o Rafael Guerreiro,que para mim é uma grande revelação neste Europeu,não estaria afastado por claro débito físico,o Ricardo Carvalho,não teria que sentar no banco por força da conjugação dos seus 38 anos,e a correria que tinha acabado de fazer nos primeiros jogos,o Quaresma,ainda não se apagou,porque lhe têm sido doseadas as prestações... 
Olhem,porque não se calam agora,é que acho que me fiz entender perfeitamente,eu que não percebo nada de futebol,mas confesso,o adoro sem quais queres limites que me condicionem o bom senso... 
E ficamos por aqui,por agora,e vamos ao jogo com a Polónia. 

O "Fernando",volto a referir,não tem deixado de cometer os seus erros,mas em muitos "casos" terá sempre o benefício da dúvida,porque o futebol não são só somas,esquemas ou nomes,são isso sim,e também opções ajustadas às realidades que são fáceis de ignorar,mas muito difíceis de gerir. 
Apostar no Moutinho de olhos fechados,e logo no inicio do Europeu,foi uma teimosia sua,que demorou de mais a ver,e neste jogo,a sua utilização parcial,deu a este jogador um brilho que mostra que não desaprendeu,mas que não reúne 90 minutos para presença optada. 
Manter o Cédric de fora "tanto tempo",foi arriscar de mais na defesa das linhas exteriores(mesmo contando com o lapso de hoje),esquecer-se do Adrien Silva em fases de jogo em que precisava de solidificar as ações a meio campo,foi insegurança injustificada,e não soltar o talento claríssimo do Renato Sanches,como agora o faz,foi quase hipotecar a visibilidade de um jogador que está galvanizado pelo que fez durante época,e mais do que isso,pelo salto que deu para um dos melhores clubes do Mundo,e estes também instintos psicológicos,não se podem desperdiçar na oportunidade do momento.
 De resto,Portugal mostrou hoje um espírito de equipa fortíssimo,e mesmo voltando a sofrer por erro grosseiro de marcação,e falta de serenidade interventiva de Cédric,soube pegar no jogo e procurar a reviravolta,que só não apareceu mais cedo,porque o "bisgarolho" do Árbitro fez vista grossa a um penalty sobre Ronaldo,para além de se revelar muito condescendente com entradas maldosas dos polacos,que tirando o golo,e aqueles primeiros 20 minutos de inicio de jogo,mostraram muito pouco para se gabarem de eliminar o melhor talento lusitano. 
Lá fomos ao prolongamento,e com muita garra,e substituições acertadas,sempre foi Portugal que mais ambicionou no evitar das grandes penalidades. 
Numa equipa que foi um todo dentro das quatro linhas,guardo para o fim as figuras do jogo. 

O mau feitio PEPE,hoje esteve enorme,não se excedeu nas suas parvoeiras disciplinares,e ganhou tudo o que tinha para ganhar,foi-o na atitude abnegada em cada lance,no jogo aério "teve asas e voou mesmo",e até tempo arrancou,para muito acertar nos apoios ofensivos.
O Rui Patrício,foi o ser paciente que tanto se precisava,já que acreditou sempre,dando segurança à equipa durante a partida,e nos pénaltys,por mais que "fosse enganado pelo poste contrário",guardou a sua inspiração para aquele que mais preciso era,para fazer delirar as gentes de um "Canto Lusitano",que agora mais reforçou um sonho,que será uma grandessíssima lambada para as más línguas do nosso País... 
Quanto ao tal Senhor Fernando Santos,foi inteligente e líder,quando gritou como se viu,com o CR7,para que marcasse o primeiro penalty da série de 5,tirando-lhe a responsabilidade e a carga psicológica,que seria maior se voltasse a ser protagonista depois do ultimo falhanço decisivo. Assim,o Cristiano,que está "cançadito",respirou fundo,ainda que lidando com a decepção do seu ego,e com menos oscilações emocionais,marcou "sem apelo nem agravo". 


Parabéns PORTUGAL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!