Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

terça-feira, 31 de maio de 2016

A perseguição dos "xutos e pontapés"...


Pontapeando na filosofia barata... 

Ás vezes sinto-me uma bola de futebol,levo pontapés e mais pontapés,e parece-me que sem estes não consigo passar... 
Fazem-me jogadas e mais jogadas,e nunca desisto de encontrar alguma que eu até mereça,sei lá...por exemplo com um efeito tão bem cortado quanto criativo...enfim,daqueles que possam marcar a diferença,e quiçá...ensinarem-me alguma coisa de jeito... 
É isso,não aprendo. 
Mas olhem que a culpa não é minha,é bem mais dos persistentes rematadores,que só copiam,só imitam,só cumprem o ritual dos mortos vivos,sim esses...os tais que vivem por viver,e claro...também só chutam por chutar... 
Lá vem um ou outro que promete,mas depois,perde-se em malabarismos que não encantam a minha essência,e mesmo que chutando forte...são apanhados pelo imprevisto do meu instinto... 
Pois é!!! 
É esse o meu segredo...nasci puro,e vivo de forma transparente...quero morrer gasto e cansado...a ser pontapeado por quem não resiste a deixar de me dar importância até ao fim da vida... 

GRANDE VITÓRIA...NÃO ACHAM ? 

Custcruz

domingo, 29 de maio de 2016

Um segredo escondido pela vontade de não me deixar transpor na ultima barreira...


Curioso,nunca o revelei a ninguém,e até nem por nada de especial,mas hoje quando vi este pequeno vídeo,segui como sempre o todo do lance,e foi no momento da reação do Guarda-redes,no timing da impulsão,no equilíbrio enquadrado do voo da alma,no seu instinto destemido,que recuei no tempo,e senti de novo a posição que mais me fez apaixonar pelo futebol...

Regressei ás Abadias,saltei para o pavilhão do ciclo,esfarrapei-me de novo no pelado do Seminário,poli as pedras do parque de estacionamento do Touril,enlameei-me no campo de terra batida da Cova-Gala,aconcheguei-me na areia da praia de Buarcos,como que sonhei de novo,em que um dia haveria de ser aquele famoso Guada-redes que nunca fui...

Curioso,como nunca o escrevi,como nunca o disse a ninguém,e só hoje extravasei mais um segredo que tanto tem a ver comigo,e tanto também justifica no enredo de um sonho que tanto marcou e marca a minha vida...

Será um Guarda-redes,o ser porque apenas o é,porque apenas lá foi cair,porque só calhou por ser o pior jogador entre os que iam fazer o jogo?

Não sei,mas só sei,que como pessoa sou um lutador,um resistente,um apaixonado pelas vitórias mais difíceis de atingir,uma ultima barreira a quem o embate do sofrimento se expõe a uma derrota categórica,e mesmo que me dobre de quando em vez,nunca vislumbro o retorno para me fixar no insucesso pontual.

Eu fui treinador de Futebol,eu fui amigo,eu fui adversário,eu fui pai,eu fui irmão,eu fui muito feliz a abraçar a bola com o peito...
Eu sorri,eu chorei,eu adorei ter entrado pela porta dos Guarda-redes,e não o foi porque aconteceu,mas sim porque tinha que ser,e mesmo que por lá não me tivesse fixado,não fui pequeno para ser um bom treinador,nem desafortunado para conquistar imensas vitórias,e logo neste encantamento de vida,posso agradecer ao destino a viagem que me ofertou,e que continuo a reviver com muita saudade...


Custcruz

sábado, 28 de maio de 2016

Montemor-o Velho : Pressionar o ser humano...é esticar a corda da loucura...

MONTEMOR-O-VELHO
Homem mata pais e avó e suicida-se
06:59 - 27-05-2016 A BOLA .PT
Um indivíduo de 41 anos disparou fatalmente sobre o pai, de 70, a mãe, 64 anos, e a avó, de 91, em Montemor-o-Velho e de seguida suicidou-se.

Depois do alerta dado às autoridades pelas 21 horas, a GNR montou uma operação junto à casa onde estava Paulo da Cruz, que terminou depois às 5 da madrugada. A iluminação da via pública foi desligada e operacionais da GNR entraram na habitação, não sendo certo se o homem estava vivo ou morto. Cerca de 10 minutos depois, militares da GNR deixaram a habitação e foi confirmada a morte do alegado atirador.

O crime terá ocorrido, às 21 horas, em Faíscas, freguesia de Arazede, em Montemor-o-Velho, distrito de Coimbra, onde o homem viva com os pais depois de ter ter perdido o emprego no Luxemburgo.
Paulo Da Cruz agradeço a OGBL por tudo o k me fizeram... corruptos de primeira ordem... não aguentei mais... peço desculpa aos de mais... senti-me envergonhado e sem apoio... a pior situação de um ser humano... espero k a minha pseudo-filha a ajudem. as secretas da UE sao da pior especie!!!

  Isa Pinto (Amiga)

La leçon que j’en tire, c’est que si quelqu’un est calme (comme je l’ai t’ai toujours connu) il ne faut pas le « titiller » à outrance. Notre société est hélas construite sur des critères où la gentillesse est vue comme une faiblesse et pas comme un potentiel. Je comprends parfaitement qu’un excès de pressions puisse mener à un acte désespéré où on ne voit pas d’autre issue. Quoi qui t’ait tracassé, c’est fini maintenant… repose en paix, mon ami TGV. 

Tradução

  "Condenação" do assassino...ou reflexão pertinente? 

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Entre o bem e o mal...eu prefiro o bem...


Vila de Buarcos

Só depois de muito sofrimento te encontraram as virtudes que podem servir a todos,só depois de caíres com a convicção do bem,te iluminaram com a luz que perdoa em brilhos de fé,só depois de ultrapassares o fim,e voltando a sorrir para cada um,te tocaram na esperança de não se voltarem a perder... 

Hoje,os há que não te esqueceram,que acolheram a lição no coração,que espalham com o amor e o perdão a esperança de um mundo melhor,que sofrem como tu sofreste,mas não se cansam de abrir caminhos floridos por tempos sem dor,onde o teu sofrimento seja compensado na graça de um DEUS que não o quer ser por poder,mas apenas por uma simples estrela que nos una num só,e se foque na conquista de uma áurea que circunde também um só destino... 

Hoje,é dia de corpo de Deus, e na terra onde eu nasci,o espirito saiu à rua renovado na vontade,no desígnio que lhe guardaram para fazer acreditar que ele continua fiel ao sonho de quem o propagou,como quem vive para si e para os seus,mas nunca deverá esquecer os outros...

quarta-feira, 25 de maio de 2016

O risco de nascer estrela,nascer diferente,e viver lá na frente...



Do pouco ao muito,e do muito ao nada,uma vida entre vidas que cativou tudo e todos,sem que alguém hoje se esqueça de si...

Morreu pobre,mas vive hoje na memória de quem o conheceu ou viu jogar,outros morreram ricos,e hoje nada são na mente coletiva do ser.
Errou?
Sim,como alguns que perdidos num mundo onde raramente se encontram,aceleram batimentos em direção ao que sentem e sonham,vivem momentos de uma euforia concretizada,mas perdem-se no vazio sequencial dos seus anseios.
Viver a vida,é um desafio,é controlar os instintos que nos provocam,é tentar caminhar lado a lado com o que somos,mas nunca esquecendo que a tentação se divide entre aquilo que é,e aquilo que pode ser... 
E querendo conhece-la de mais,precipita-se o risco de nunca mais nos encontrarmos... 

Custcruz

Vítor Baptista
Futebolista
Vítor Manuel Ferreira Baptista foi um futebolista português. Era conhecido pela sua genialidade, excentricidade, irreverência e imprevisibilidade, pois não tinha muita disciplina táctica. Devido à sua personalidade era comparado com George Best. Wikipédia
Nascimento18 de outubro de 1948, Setúbal
Falecimento1 de janeiro de 1999, Setúbal
Altura1,78 m


domingo, 22 de maio de 2016

A vida e a lei,o amor e o destino...



Questão de amor,questão de genes ,questão de tudo o que quiserem,na certeza do quanto é belo o acompanhamento a cada passo de uma mãe,no prolongamento da linha cintilante que descreve o destino do seu filho.
As emoções nascem de dentro de nós,e por mais que o tempo tente apagar a vontade de as perpetuar,só o consegue pelo dado momento,por quanto,após este,mais se elaboram,fortificam e distribuem em arrepios de uma envolvência tal,que só terminam quando o silêncio toma conta de cada um. 
A contenção pela libertação personalizada do ser,é o gesto instintivo que protege o direito a uma vida com a qual cada um possa,e deva sonhar,enquanto identificação clara de onde vem,e para onde pretende ir,na certeza do quanto um exemplo cria outros exemplos,que valorativamente se corporizam na aproximação ao melhor sorriso que também se possa conquistar.
Mãe e filho,ligados de forma única,sob o abraço protetor de quem tocou "o milagre" no sentido da Família,onde nenhum é menos,e todos entendem e amam a benção desta relação sui generis.

Custcruz 

sábado, 21 de maio de 2016

Uma estrela que não caminha no seu destino,não brilha com as emoções que merece...




Uma estrela que não caminha no seu destino,não brilha com as emoções que merece,por isso,se depende da solidariedade esse "momento mágico",pois que se precipite numa onda humana em seu favor,o Renato agradece,e o nosso mundo dá esperança à constelação que a todos nos deve fazer felizes.
04 de Junho,ás 21 horas,tudo pode mudar para este menino,tudo pode ser tão diferente na sua vida,aprender a andar,é como "voar ao nosso encontro",e acredito,que se o conseguir, ele nos vai dar um Abraço do tamanho do mundo,mesmo que cansado se sinta,descansará no sonho de uma nova vida,que nos outros dias lhe voltará a sorrir.
Força Renato,naquele dia vamos estar lá para te incentivar,mas ficas a saber que logo correremos para a meta,para te receber de braços abertos...
Entrada por 3 estrelas não,por uma apenas,que todos queremos que brilhe mesmo que de forma especial.
Eu não vou falhar,eu não quero falhar,eu vou estar presente... 
Se conheço o menino,ou os Pais?
Eu não,mas o que é que isso interessa para o caso?

 Custódio Cruz

sexta-feira, 20 de maio de 2016

O prolongamento enigmático do ser...


Sempre por perto,
sem desistir de quem não se pode,
sempre atenta por quem faz parte de si,
cintilando em sinais de um só entendimento,
de um amor que não desvanece,
mas sim se prolonga no sonho que nos destinou...

O sol brilha enigmático no destino,
tocando a presença em raios de luz,
iluminando os gestos de uma paixão sem fim,
comunicando expectante no tempo,
por certezas de uma vontade que só a nós pertence...

Nós dois somos um,
e muito mais para além do olhar que nos une pelo coração,
falamos em silencio,
e persentimos em espaços tão vazios
quanto preenchidos no que nunca nos há-de separar...

Tu ,eu e a estrela que nos escolheu,
em um trilho que sempre nos fará ressuscitar...

Custcruz

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Qual é o numero da tua camisola?



Nunca por nunca me vencerão,porque serei eu mesmo a lembrar "os poderosos" que me afrontam,que "o numero da camisola" que visto,já lá vai na frente sem o tempo com que vós sois manipulados,por isso derrotados na vontade de ser quem são,e de caminhar nas escolhas que gostariam de conhecer.
Dizeis vós então,que irei acabar mal,na miséria,com poucos companheiros de viagem,perdido entre silêncios que não me darão nada,a não ser isso mesmo,a solidão dos que não alinham na hipocrisia do mundo.
Pois é,mas para que essas vossas certezas se conjuguem com o que vocês valem,teríamos que conhecer as maleitas que vos afetam,descodificar os vossos sofrimentos nos sorrisos espalhados ao vento,perceber se o vosso viver o é,ou apenas sobrevive em sepulcros que vos antecipa o fim a cada passo,com quase tudo o que ambicionam,mas com o nada do que eram capazes.
A vida,é um desafio,o materialismo,é um meio que abre escancaradas as portas de uma ilusão que engorda,faz vestir bem,apruma brilhos de um poder que alicia,mas nunca se precipita sem as contrapartidas de uma essência que sufoca sem se revelar.
Nem tanto ao mar,nem tanto à terra,e se ventos há que nos empurram,brisas existem,que não deixam de soprar no consolo da alma,se reconhecer nos aproxima de uma verdade inconveniente,olhar em frente encoraja-nos para uma vitória que nunca o é de todo,mas que também não se conjuga com derrotas previstas por quem nunca se conquistou a si próprio.

Custcruz

terça-feira, 17 de maio de 2016

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Naval 1º de Maio / Crato...de 0 a 10...

Fotos Ana Maria Pinto da Costa

A união fez a força,e a Naval 1º de Maio conseguiu os objetivos almejados,o nível motivacional foi sem dúvida apreciável por parte dos protagonistas que equiparam com as cores mais tradicionais do clube,e a diminuta assistência que acorreu ao Bento Pessoa,saiu satisfeita com a perspetiva sonhadora,de após a estabilização da Nau em termos desportivos,se possa agora navegar em mares que mesmo que não se adivinhem calmos,tragam alguns intervalos refletivos,e de labor concreto,para que este clube dimensionado fortemente no coração da Figueira,e dos Figueirenses,prossiga na sua enorme missão social e desportiva,que é subjacente a uma história afirmada à 123 anos.
Por agora,o sofrimento foi mais que muito para catapultar o sonho,à sua volta,arrepia o estado lastimoso de um Estádio que também tem muito que contar,e não é só de Futebol,mas se esta modalidade é rainha nas opções do nosso mundo,todos devem acreditar que também para quem nos visita,não é de bom tom visual,e nem de dignidade minima,o cenário apresentado.


É um clube que fica em causa na sua imagem,mas não menos a nossa terra,que se deve unir para vencer as dúvidas de responsabilidade,colocando acima de tudo os interesses e caprichos de índole mental,que só desfavorecem a razão,e alimentam as fúteis e indesejadas polémicas de trazer por casa.


Quando ao jogo,foi bom de mais,sobretudo pelo espirito de entrega dos Navalistas,tendo em Miguel Valença(9),um bom exemplo dos que mais gosto na vida,sem papas na língua,repreendeu colegas que por vezes se esqueciam dos equilíbrios defensivos,e até motivacionais,sempre muito atento e ágil,dava a segurança com que qualquer equipa se sente bem,e assim foi senhor que da minha parte,e como o fazia antigamente,mas hoje numa escala de 0 a 10,lhe atribuo a nota nove,já pertinho do 10,mas porque sou exigente e rigoroso com as emoções,essa nota está reservada para quem neste jogo lhe deu o brilho total.
O Tito Junior(7),cumpriu,aplicou-se,não deixou créditos por mãos alheias,pouco errou,mas limitou-se a isso mesmo,ao prioritário,equilibrando bem as ações defesa ataque,não arriscando em demasia no ultimo terço,e mostrando-se expedito na circulação,assim como que de forma calculista,não pretendeu retocar as suas intervenções com os brilhos sonhadores,e por isso,se era assim que tinha que ser,a nota sete é justa,acreditando eu,que tem talento para um dia destes perfumar o tecnicismo que lhe sobra dos pés à cabeça,em golpadas de envolvimentos ofensivos,que só marcam a diferença em quem para além do mais,também deve sonhar.
O Parracho e o David Valença,o David Valença(9) e o Parracho(9),numa ligação de comando no eixo da defesa,que se alargou numa enorme conveniência tática,empurrando a pressão para zonas em que mais interessava defender a baliza verde e branca,controlando o jogo aéreo em movimentos muito bem articulados,e numa atitude mental de perfeitos guerreadores,sempre concentrados em tudo o que se passava à sua frente,orientavam ligações e atitudes,que quiçá os irreverentes do jogo,se pudessem atrever a abordar em prejuízo da equipa.
Confesso,por "serem gêmeos" no entendimento,e porque apesar de eu ter aparecido ultimamente mais vezes por um palco que um dia também me pertenceu,e se agora me cruzasse com eles,não os definiria na diferença,e tudo porque foram tão iguais nas prestações competitivas,que só sei que um subia aos cantos para tentar "molhar a sopa",mas não me preocupei(por erro meu),em saber qual deles era,tal o entusiasmo "em que me perdi",com a forma super ligada com que atuaram.
E como nem só quem marca golos deve ser distinguido nos píncaros,nota nove para ambos,por tudo o que já disse,e sobretudo pelo desenho do segredo que este jogo tanto precisava,para depois se arriscar no que se conseguiu.
O Fred,com nota 7,e à semelhança do Tito,esteve dinâmico quanto baste,e ainda que fosse empreendedor nas subidas,privilegiou as costas como segurança,com uma ou outra intervenção menos equilibrada no h x h,e desacerto no passe,pareceu-me um jogador com intervalos emocionais por selecionar,mas com inegável qualidade para produzir mais e melhor.

No que diz respeito "ao triangulo mágico",o Tavares(9),foi a imagem da abnegação,sempre presente e no sitio certo,para por cobro a diagonais ameaçadoras dos adversários,possante no querer,nunca virou a cara à luta,silencioso a pisar,surpreendeu quem com ele não contava,exímio no cálculo e percepção,dobrou a preceito as intenções de organização ofensiva da formação do Crato.
Assim,nota nove,para o carregador de piano...
O Zé Pedro(8),é jogador,constrói com a paixão com que vive o futebol,ainda que neste jogo tenha sido menos equilibrado e concentrado a defender,sempre que investe na organização do jogo,elabora de forma geométrica as suas intenções,à medida que o tempo passou,naturalmente,e em final de época, sucumbiu fisicamente,mas o que tenho na certeza é que tentou dar tudo o que tinha para dar,e um 8 ajusta-se bem à sua prestação nesta partida.

O Luis Leite(10),foi a figura de proa deste confronto,um médio volante por vezes quase supersónico,ele saltou,ele fez piques endiabrados,ele caprichou tecnicamente,ele entregou-se à sua capacidade criativa,ele controlou emoções nos entrelaces com a bola,e portanto querer vencer,fez uma ou outra entrada de arrepiar em quem a sentiu,e até correu os riscos de quem não se inibiu de atuar nos limites.
Dois golos de penalty,é certo,mas bem merecidos e melhor concretizados,por um controle de emoções que não deu qualquer hipótese ao guardião forasteiro.
Encheu-me as medidas,foi o que foi,e por isso nota dez,porque para mim 11 não existe.
Olha,olha,que trio de ataque,João Vasco,Sérgio Grilo,e China,o que queria eu mais,três da Figueira,dois ex.pupilos,e um que não veio da China com o Paulo Futre,mas que conheço bem,e admiro muito.

O João Vasco(8),colocado sobre a direita,encostava-se a uma parede imaginária,porque por ali,ele usa o pique,também explode em sobressaltos da alma,mas só se adapta a uma reta sem fim,não liberta o atrevimento imprevisível,pois isso fá-lo na esquerda,porque contrabalança entre o que tem que fazer,e o que quer,catapulta-se para surpresas que nem ele sabe no que vão dar,e tudo porque o pé esquerdo não é cego,e o direito precisa de espaço para simular a diagonal contrária.
Cumpriu bem,correu quilómetros bem medidos,e deu ouvidos aos tais advertimentos vindos lá da zona central,que antevendo precipitações de um amago que lhe pertence,o controlaram no espirito que mais convinha a todos.
Nota oito,porque nestas coisas,não há amigos para ninguém...

O Sérgio Grilo(7),numa "edição futebolística" de polivalência plena,voltou ao lugar que tantas alegrias me deu, e a quem desde sempre o viu ali jogar,sem surpresa,movimentou-se na procura de espaços que lhe pudessem proporcionar os instintivos arranques ou remates à meia volta,numa humildade que lhe é peculiar,não esqueceu as escolhas nas melhores colocações de outros colegas,e afirmou-se experientemente numa postura sempre ambiciosa,mas é aqui,que desta vez é o meu instinto que se solta,e achei sinceramente.que o Sérgio Grilo,ainda que profissional como sempre,me pareceu triste no que só não consigo ver,porque não posso certificar sem estar presente.
Nota sete"Serjão"...

O China,bem o China,voltou a preencher o campo com um talento que faz adivinhar muito mais progressão,com uma atitude vigorosa e persistente,vira o mundo de um jogo,e cria um outro,onde por vezes se perde,mas também ganha muita coisa.
Precisa de estar atento aos equilíbrios entre o que deve fazer com bola e sem bola,mas nunca abdicar de ser quem é,atrevendo-se a ser feliz com aquilo que muitos não esperam,e pode marcar a diferença entre os predestinados e os mecanizados,
Neste jogo,mostrou que está no bom caminho,que se está esforçar na homogeneidade do Atleta,e a espaços soltou mesmo o"perfume" de quem sabe porque com ele nasceu...
China,nota 8...mas sei que é capaz de muito mais...
Para a gestão de uma vantagem numerada em dois golos,entraram Junior Mendes(5) e Gomez(6), respetivamente aos 56 e 67 minutos,ambos com missões onde o mais importante era reavivar a pressão ofensiva,mas dando luz a um subconsciente que não esquece-se a vantagem que servia os intentos Navalistas,entre um e o outro,e onde ambos cumpriram o que se lhe pedia,ainda assim ressaltou-me os pormenores técnicos de Gomez,que também me fizeram pensar em como por ali há algo mais para mostrar sem ser em situações de condicionamento quase extremo.
Amadu(3),entrou ao cair do pano,e sem tempo para mostrar mais,fica-me o meu conhecimento da proveniência dos Juniores de 2014 / 15,onde achei ter sido uma boa aposta,que se pode solidificar mais ainda quando for mais consistente emocionalmente,de resto tem capacidades notórias para ser o que sonha.
Pedro Mano,Iduíno,André e Henrrique,fica para a próxima...não desanimem,a vida dá voltas,e os sonhos só se concretizam para quem acredita e não desiste,de resto,desistir...ainda por cima soa muito mal...
Parabéns Pedro Ilharco,e restante equipa técnica,por mais este exito em uma missão de salvação extrema.

Deixem-me em Paz,porque por agora estou em Guerra...


Fiquem descansadas certas almas de um mundo a que eu já não pertenço,
que eu não vou regressar ao Futebol,
nem a coisa nenhuma !!!!

domingo, 15 de maio de 2016

Naval e Benfica,Campeões cada um à dimensão de um só momento...,

Só quem melhor me conhece,me pode também melhor entender,e sem as hipocrisias que abomino,dou os meus sinceros Parabéns ao Benfica e aos Benfiquistas,porque mesmo que não acabando com a mesma qualidade de jogo do seu adversário maior,teve a alma mais que suficiente para não deixar perder as mais valias conquistadas perante quem as teve de avanço,e não as soube ou conseguiu gerir.Ao meu Sporting,agradeço este ressurgimento para a ribalta de uma história que tudo tem a ver com o clube do Leão,onde ouve tempo para tanto,de tudo aquilo que pode fazer feliz qualquer Sportinguista de coração. Bem entendo,e estou a sentir o arrepio doloroso de quem e para quem só os Títulos contam na marcação que dimensiona um clube grande do Futebol Português,mas ninguém retoma,sem sofrer,ninguém sonha sem nunca ter alcançado a soma do que pretende,e por isso,é hora de embalar na atitude conquistada esta época,e mais do que fazer grandes negócios,se perceba que primeiro se deve preservar "a magia alcançada",e só depois,aparecerão os "intervalos" onde a gestão pode e deve fortalecer os cofres.É difícil?Também o foi para chegar até aqui,e se houver uma ousadia análoga dos dirigentes,tal qual a ouve da parte deste excelente grupo de trabalho liderado pelo Jorge de Jesus,acredito que num futuro próximo,nos poderá o destino dar aquilo que perdemos hoje.
Custcruz
Antes deste deste desafio de emoções estrondosas,já a minha alma tinha voado tranquila do Bento Pessoa até casa,pois a Naval de todos nós os que gostamos acima de tudo da nossa Figueira,auxiliada pelo Marco,pelo José,pelo Vasco, pelo Grilo,pelo Ilharco,pela Ana Maria,pela Vera,pelo Nandinho,pelo Moço,e por todos os outros que me podem escapar neste momento de emoções mil,por ainda assim serem tantos,e que tanto dão a esta Associação,que não desceu de divisão,e renovou a esperança de quem nunca mais vai deixar de sonhar em voltar ao mais alto nível do Futebol em Portugal. Vitória sobre o Crato por 2-0,e o sangue continua a circular nas veias da quarta coletividade mais antiga do nosso País,e como sempre o afirmei convictamente,a ALMA da Naval 1º de Maio,é grande de mais para sucumbir por qualquer desidrato,onde erros de cálculo a feriram na marcha,mas nunca no destino da sua eterna História.

Benfica ou Sporting,no ópio do Povo...



Tudo indica que a águia vai triunfar,e lançar-se no voo 35,mas...cuidado...ainda há quem por aí acredite que o que é Nacional é bom,ainda que,outros estão convictos que a melhor imagem de Braga se vê mesmo é por um canudo...

Vamos esperar para ver,na certeza porém,que já tinha saudades de um campeonato disputado até ao fim,com a incerteza a vigorar até ao "lavar dos cestos"...

Por mim,parabéns ao vencedor,seja ele qual for,porque ainda assim,como antes com a Amália,o Eusébio e o Peyroteo,sempre ajudaram os mais desfavorecidos a ter alguns minutos onde as agruras da vida ficaram em segundo lugar.

E só por isso,que viva o Futebol,e viva a festa do POVO...



sábado, 14 de maio de 2016

Mais um tudo ou nada,para bem da Naval 1º de Maio e da Figueira da Foz...


Atenção : Mudança de hora :  15 horas

Será Domingo,o dia de todas as decisões para o Futebol Sénior da Naval,mais do que isso,para não se deixar perder o alento preciso para que uma Nau que navega em mares turbulentos,possa perfilar numa rota que rejuvenesça a alma de um clube,que corporizada nos seus associados,e nos seus simpatizantes,poderá remar em direção a um destino que seja mais um recomeço daqueles a que a vida sempre nos exige,como forma de persistentemente responder as adversidades,que nos querem separar das emoções que mais nos podem fazer sorrir.
Todos somos importantes,e até aqueles que no jogo dos Juniores do passado Sábado,estiveram refugiados nos carros,e que tão criticados foram por alguns inconscientes Navalistas,que os subalternizaram para uma escala hierárquica não comparável com eles,demonstrando pouca sagacidade intelectual para quem precisa de unir e não dividir,numa altura em que este clube deve adaptar uma estratégia de cativação,e não de desagregação ainda maior do que a que já se verifica,
Ser Navalista,não é bater com a mão no peito,mas sim abraçar todo aquele que se predisponha a voltar a estar presente no dia a dia do clube,porque muitos dos que se refugiaram nesses mesmos carros,até já estão impermeabilizados há muito por cargas de água que colecionaram,por quilómetros que percorreram,por lamas que os "conspurcaram",enfim,por uma série de condições,que ainda por cima não tinha qualquer compensação que valesse a pena.
Todos são importantes,e como neste caso, o Bento Pessoa até tem bancada,não estou a ver que desta feita alguém fique dentro dos seus automóveis à espera do resultado.
Depois de aqui deixar um recado humilde e construtivo,a quem lhe sirva de reflexão no pressuposto que mais pode definir um bom Navalista,voltemos ao jogo "do tudo ou nada",onde pegando na máxima,de que "mar calmo não faz bons marinheiros",e sabendo-se que a Naval é composta por atletas que só podem ter da nossa parte a maior admiração e respeito,por se dever atender às suas abnegações em prol de um emblema pelo qual dão tudo,sabe Deus como,e não virando a cara à luta,na firme convicção de salvar o clube de um cenário muito preocupante,
Força Pedro Ilharco,e seus pupilos,tenho a certeza que Domingo,todos nós  iremos de novo sorrir e festejar,para bem da nossa prestigiada coletividade,e da Figueira da Foz.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Ser figueirense é de outro nível...


Chega de esperas, o melhor after de sempre está de volta e vai ser no Coliseu Figueirense! 
Fiquem atentos para as restantes novidades (bilhetes, novas confirmações e cartaz final).
Detalhes
Quando acaba o maior sunset de sempre, já sabes que algo mais te espera.
O verdadeiro AFTER SUNSET PARTY está de volta!
Pelo 3º ano consecutivo realizamos o maior e melhor after de sempre, desta vez com mais watts para te fazerem vibrar nas pistas (sim, pistas: aqui o palco não é só um).

Artistas Confirmados até ao momento:

ALIENN - www.fb.com/alienn01/
BASS BROTHERS - www.fb.com/bassbrothers.pt
RAZAT - www.fb.com/Razatproductions/

Agora espera por novidades e não faltes aos treinos.

Este é #omelhorafterdesempre!

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Conversas de Facebook,o Mercado e a Figueira,os seus inimigos e um Futuro para se refletir enquanto é tempo...

Humm,grande visionário que me saiu o amigo Olímpio Fernandes,olhe que não o tenho como "passarinho".Bem,mas deixe lá isso,e vamos mudar de assunto.Está aqui a dizer na rádio que percentualmente a crise quem mais atinge é os pobres e a classe média,e que os ricos não têm percentagem significativa nos prejuízos.Sendo assim,meu caro,se fosse rico,e assim continuando a faturar,a sua motivação no investimento e atendendo ás oportunidades únicas,era maior,certo? E olhe lá,com a tal desertificação com as lojas que fecham(como diz e bem...),se houvesse uma "oportunidade"público privada,onde o meu caro iria receber as paredes de graça,metia lá uns tostõezinhos,para ganhar uns tostõeszões,certo?Transtornado deve estar o meu amigão,eu não,eu estou lúcido,só que me falta ainda a reforma,e quer que lhe fale em português refinado?Que não vai valer uma merda,por culpa minha, e realmente da minha peixão pelo futebol,mas também por estar inserido num País com uma segurança social vocacionada para favorecer,ainda por cima os que menos fazem.Olhe resta-me,e porque temos um Casino cá na Figueira,apostar nas Slots,que dá lucro ao Senhor Amorim e aos seus,que é o mais rico de Portugal,mas percentualmente não pode distribuir em muitos prémios,se não tem também que fechar portas.Segredos eu?Hum,amigo Olimpio Fernandes,deve estar a ficar "cota",porque de repente parece que já não me conhece.Olhe amigo,o meu fim,ou vai ser dramático,ou extraordinariamente feliz,e quer acreditar,que tenho tudo na mão para escolher?É verdade,aqueles que dizem que sou muito inteligente não se enganam,e tenho ainda outra vantagem,venho de família humilde e pobre,e ainda há dias olhava para baixo da ponte,e vi lá um espaço que não é assim tau mau para eu dormir,com aquele som calmo do rio a correr e tudo,quanto ás refeições,o outro da cáritas tem razão,só morre à fome quem quiser.Está a ver amigo,eu sou um resistente,eu amo a vida,e vivo com tudo o que esta me der,e o problema de muitos é que nunca o conseguem,e por isso se...é melhor calar-me...Pronto,vai dizer que eu estou mesmo transtornado,mas olhe que não,porque quem é inteligente,é sempre visto como um anormal,obviamente não é?Eu sei,eu sou convencido,mas não faça caso,se não assim,também não me achava tão divertido,e também não ia continuar a pensar,que este algodão não engana.Abraço,e até para a próxima Senhor Olimpio Fernandes.

Olimpio Fernandes
Centro Comercial do Trabalho ??????
Conta-me ao ouvido o que tens por aí em segredo.O mercado transformado num Centro Comercial????? Ò Custódio Cruz, desculpa ai já, mas deves ter ficado "transtornado" com a vitória da Naval,Então o comercio local, está de tanga, tudo a fechar as portas, desculpa aí essas trágicas visões, meu caro amigo de longa data, uma especie de algodão que não engana
GostoMostrar mais reações
Comentar
Comentários
Marco Figueiredo Nesta cidade que tudo copia de bem e de mal , vislumbro um mercado da Ribeira como em Lisboa . De um lado o mercado antigo , com peixeiras , fruta , flores , talhos , assim para turista ver e do outro lado os restaurantes típicos mas caros para os turistas dos cruzeiros e dos hotéis franceses . Normalmente não me engano e como dizia o outro , e raramente tenho dúvidas.
GostoResponder19/5 às 17:31
Custodio Cruz Cruz Hummm...queres ver que há mais transtornados como eu na Figueira?
GostoResponder19/5 às 18:50Editado
Luís Caldeira A experiência em Lisboa correu muito bem e o mercado da ribeira está muito atractivo tanto para turistas como locais. Quem lá investiu não se arrepende certamente. Não seria tão difícil quanto isso na Figueira se houvesse vontade.
Custodio Cruz Cruz Luis,comparar Lisboa com a Figueira,é impossível,por aqui o Verão são "dois dias", e o inverno dez meses.para além do mais,a desertificação do Concelho por falta de jovens como tu e a minha filha,que tiveram que ir aí para Lisboa para governar a vida,é mais que evidente,estrangeiros,só no tal verão,e no inverno,só se levarem o Marco Paulo e companhia para animar "o baile",mas olha que os idosos estão "tesos" e não podem ir a festas.Já basta ver o Casino,e os poucos Restaurantes e Cafés que resistem,às moscas,e a praticarem um horário incrível para a normalidade exigível. E depois o Mercado da Figueira tal como ele está,é dos poucos sítios onde se deslocam os estrangeiros,mas pelas particularidades que tem e que os atrai de forma clara.Têm a Praça de Touros da Figueira onde andam a pensar tapar(teto amovível),e colocar Restaurantes no interior,e fazer eventos como aí em Lisboa,experimentem,se resultar ganha o Bairro Novo,e o Mercado Tradicional e a Figueira.Não destruam duas hipóteses,para ganhar uma,apostem numa,para tentar ganhar outra.Sejamos realistas e inteligentes,e não se queira é, oferecer espaços públicos a privados.
Luís Caldeira Mister, bem sei que Lisboa não é Figueira e não podem ser comparáveis e muito menos copiáveis que é a tendência errónea que muitos autarcas têm. Mas também me lembro de uma Figueira bem mais movimentada e se hoje está tão deserta é por sucessivas politicas que tão pouco protegeram os interesses dos figueirenses, algo que melhor o mister conhece bem melhor do que eu, mas que podemos observar no desprezo de manutenção de espaços da cidades, da redução da estação de comboios a um simples apeadeiro de Coimbra de onde já nem os comboios para linha do oeste saem, ou a falta de uma dinâmica de marketing que atraia portugueses e estrangeiros a vir passar férias à Figueira, numa altura em que o longe se torna cada vez mais perto e o turismo está a crescer noutros locais nacionais e quando até há poucas décadas a nossa cidade era uma referência para portugueses e espanhóis nas férias em Portugal.
Mas também vejo "gente jovem" que ficou na Figueira e que foi capaz de criar dinâmicas que há dez anos se pensavam impossíveis como festivais de música de uma dimensão considerável e crescente com o Fusion aí tão perto ou o Woodrock em Quiaios, sem falar do sunset que tem por trás a RFM. Aquilo que imagino no mercado é algo que pudesse ligar esta dinâmica jovem e moderna ao tradicional do mercado, com espaços de restauração modernizados, não muitos caros e por isso mais atraentes a públicos mais jovens, aproveitando não só os já existentes mas criando também espaços tipo quiosques de refeições mais rápidas (talvez no andar de cima, será que daria?), que não fossem tanto pelos hamburgers mas sim pela conjugação harmoniosa com os produtos tradicionais do mercado como peixes grelhados, saladas, etc. Porque não em horários mais noturnos para que os jovens que hoje enchem o Foz Plaza para jantar e que de seguida vão a pé até ao bairro novo ficassem mais perto dos bares nocturnos para benefício de ambos os espaços. Até podiam não ser de abertura constante mas que tivessem a liberdade de ser abertos apenas ao fim de semana, quem sabe em colaboração com restaurantes já existentes na Figueira para que mais do que concorrência fossem um complemento que aproveitasse o seu conhecimento e os enriquecesse. Penso que chamaria gente ao mercado tradicional e que mesmo que por vezes os horários de funcionamento não coincidissem totalmente criaria o hábito de lá passar em alturas diferentes e com o propósito de lá comprar algo que espreitou no sábado à noite e que gostou. A hipótese do coliseu é algo que desconhecia mas apesar de me agradar é algo que me parace (e voltamos ao início do texto) uma mera cópia do existente aqui em Lisboa no Campo Pequeno e que me parece ser um investimento despropositado quando temos em conta as propagadas finanças débeis da autarquia e as alternativas que podiam existir, se não vejamos o espaço para espectáculos que está só um pouco a baixo nas Abadias. O Coliseu como espaço que merece ser preservado podia ser algo que fosse pensado para ser complementar em concertos de maior envergadura e que só me parecem fazer sentido no verão, podendo por isso a intervenção ser menos dispendiosa financeiramente. Para restauração parece-me que a solução do mercado seria também menos dispendiosa, até porque o mercado sofreu uma renovação há pouco tempo e pela dimensão e integração com o já existente não seriam necessárias grandes alterações. Mas é claro que eu não estou aí e não vejo o dia-a-dia da cidade. Já não tenho presentes as suas dinâmicas e aquilo que imagino pode não fazer sentido. De qualquer forma é bom pensar nas coisas e reflectir em soluções para os espaços que queremos preservar. Grande abraço

GostoResponder10 hEditado
Custodio Cruz Cruz Prometo resposta para mais logo quando sair do Mercado,agora não é possível face à dimensão da reflexão que fizeste,e muito dentro do que eu penso.Por enquanto ainda não me despojaram do módulo onde estou para executar esse possível aproveitamento comercial,e assim ainda pode ser que tenha possibilidade de hoje arranjar dinheiro para comer,e ter uma vida ainda que pobre,mas minimamente digna.Abraço e até já...
GostoResponder9 h
Custodio Cruz Cruz Luis Caldeira,tu falas em preservação do Mercado tradicional,mas avanças com espaços tipo quiosques para se fazerem refeições simples,pois bem,no primeiro andar do Mercado há mais que espaço para que tal aconteça,inclusive com a vantagem do piso 0,poder ficar isolado,porque tem portas amovíveis que o encerram,e o separam do primeiro andar, e até proporcionar a hipótese de poder trabalhar inclusive em espaços mais noturnos,
Mas também dizes e muito bem,que nem é prudente,e no caso, perfeitamente inaceitável,que a prática autárquica,e principalmente dos teóricos que sendo engenheiros de formação,são viciados na cópia,por comodismo adquirido na fundamentação com que obtiveram o lugar pago por todos nós numa Câmara municipal,e assim,e por que viram em Lisboa,esses tais pequenos espaços,entendem que só correndo com quem está nos módulos à volta do Mercado,como eu ,e com artigos regionais e de cariz Turístico,os podem ocupar com a gastronomia.Vê bem,subestimam o que têm,em detrimento de algo que os Turistas adoram.E isto assim,não é preservar coisa nenhuma.
O Bairro Novo,neste momento é um perfeito deserto quer de inverno,quer de verão,têm Restaurantes de qualidade a preços acessíveis,mas transformaram o restante comércio em Bares Noturnos,e com isso instalou-se uma perfeita confusão entre atos de vandalismo,abalando de vez o histórico espaço social,que era equilibrado na sensibilidade de idades e gerações distintas.
Complementar interesses entre o Mercado da Figueira e o Bairro Novo,foi desde sempre a minha ideia,mas na verdade,outros interesses rolam em volta de tudo isto,com privados desde há muito a exporem-se à oferta daquilo que é público para seu interesse particular,e tu sabes muito bem,que há muito tempo começaram a construir um Mercado ao pé do campo de treinos do Municipal Bento Pessoa,para correrem connosco de todo.
A hipótese do Coliseu,seria capaz e vantajosa,para além de que não tinha dispêndio nenhum para a Autarquia,já que seria intervencionado com fundos europeus.
Fazerem alterações no Mercado para esse efeito,terão que destruir parte do investimento de há apenas 3 anos,deitando a baixo bancas de pedra,e criando espaços planos para poderem colocar tipo esplanadas com mesas para "os comes e bebes"...
Pois,é verdade,o CAE nas Abadias está às moscas,e tem salas de espetáculos,Restaurante,e tudo o mais,e é ali mesmo ao lado,o Foz Plaza,está deserto durante a semana,e só anima ao fim de semana,o Casino,ainda agora de lá vim,tem os empregados à porta,e tem sala de espetáculos,bares,jogo e tudo o mais.por amor de Deus,então vai-se acabar com um uma mais valia para a cidade e o concelho,traduzido nos estrangeiros que já agora visitam o Mercado,e onde disparam flaches de contentamento com o que vêem?
Vai-se arriscar a perder algo ganho,em tempos tão difíceis,e assim se ficar sem nada durante o dia para se ver,a não ser o deserto da praia da figueira,a morte da Rua da República,o assassinato escandaloso do Jardim Municipal etc etc
Como vês,o problema não se pode só resolver com copos,mas com a recuperação daquilo que destruíram para interesse de alguns e não dos figueirenses.

"..."gente jovem" que ficou na Figueira e que foi capaz de criar dinâmicas que há dez anos se pensavam impossíveis como festivais de música de uma dimensão considerável e crescente com o Fusion aí tão perto ou o Woodrock em Quiaios, sem falar do sunset que tem por trás a RFM..."

Outra verdade que tu mencionas,mas sabes,muita gente que foi a alma dessas iniciativas já cá não estão,e foram para o estrangeiro,e os que estão,de inverno não estão.
E sabes que mais,porque sei quem és,acredito e sinto o teu sentido construtivo,mas olha,não é nos pressupostos sentimentais com que alicerças as tuas opiniões,que se gerem as dos glutões que estão a destruir a nossa terra,e por isso amigo,ir-mi-às dar razão,mas só quando eles acabarem com tudo,e depois alinharem por "outros terrenos" que lhes sejam dados de graça.
ABRAÇO.