Afinal a vida foi,é...e será sempre um desafio na sequência sólida de percorrer caminhos que se ajustem à reflexão equilibrada e tolerante, onde os projetos nunca acabem, e se definam cada vez mais naquilo que queremos ser, e não no que os outros querem que nós sejamos...
Perceber que refletir e concluir são atos que não podem estar confinados apenas ao reflexo daquilo que experimentamos sozinhos, ou obcecadamente vemos nos outros,caindo assim na tentação de criar verdades absolutas agarradas a pressupostos com falta de equilíbrio identificativo da nossa própria vontade...
Não podemos nem devemos querer para os outros aquilo que foram momentos nossos,e ajustados apenas e só para nós próprios...
Fazer crescer é educar e tentar ser amigo,é procurar limar com valores acrescentados os passos próprios de uma imaturidade pela qual quando jovens naturalmente passamos,e ou se está bem atento,ou então ficamos apenas por nossa conta,e isso pode ser muito perigoso...
Sinto sinceramente que os "meus" me olham com a admiração de quem foi livre de escolher o seu próprio caminho,com responsabilidade e dispensando cópias comportamentais,mas entendendo que a partir de uma "base experimentada" também podemos ramificar genuinamente o nosso próprio"eu"...
Só se vive uma vez,e tirar originalidade a um ser,é limitar as emoções que estavam reservadas para cada um,e isso eu penso que não é justo...

Custódio Cruz

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

Aprender com a nossa sombra,e fixar os olhos em outras...

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

O Futebol e as escolhas com luz...


O futebol é um jogo com alma,onde só voa quem sonha,e só é feliz quem o adora.
A bola só rodeia quem se atreve,desafia quem lhe dá luta,cativa quem tem pés,mas mais do que isso,se encaixa numa áurea de talento que só brilha em quem lhe proporciona novas aventuras.
Rematar,correr,driblar,saltar,cruzar,é cortar no previsível e apostar no efeito,é desenhar com os enredos da mente,e fantasiar sem nunca se perder.
Se um ser nasce com um destino?
Creio que sim,
mas também nesta modalidade de emoções mil,o brilho das estrelas é hoje muitas vezes avaliado na frieza das conclusões numéricas,dos pressupostos diabólicos,dos ecos sombrios,aos quais a "magia da luz" se predispõe sempre para quem a merece.

Se os Génios existem?
Claro que sim,
mas sempre precisam de quem lhes saiba dar espaço.
Se os Sábios determinam?
Sei lá,
ainda que persinta que é capaz...

Custcruz


quinta-feira, 24 de setembro de 2015

A vida não pára...


Uma face que não engana,tons de luz que aconchegam a alma,semblante cansado mas feliz pela vida,brilhos tombados,mas vigorosos no destino...
Chegou o Outono...

custcruz

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Mensagem de esperança...


Mais do que a voz,quantos se identificam em cada palavra,quantos se reveem nos sentimentos,quantos personificam nos seus desejos alguém que na diferença nunca lhes falhou.
Quando se tem ou teve um grande PAI,ele sempre nos segura e impulsiona na luta,quando recordamos o coração doce e subtil de uma verdadeira MÃE,crescemos na escolha das emoções mais equilibradas do mundo,quando um IRMÃO se relembra enquanto parte de nós,sonhamos em nunca o deixar cair nos esquecimentos da vida,quando um AMIGO nos abraça para lá do tempo,adverte-nos para a força com que a amizade nos diferenciou,quando deste muito nunca o arrepio da vida nos contemplou,expõe-se a Fé,que nos faz elevar bem ao alto de uma montanha,onde se acredita que haverá algo mais do que apenas o cume da sua imponência.

Sente TU,e escolhe o teu caminho,acredita sempre,e nunca desistas...
custcruz

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Destinos...



Salty Journall


Ainda um dia hei-de voltar,
como com quem o rumo nunca perde,
por outros trilhos liberto a alma em descanso,
em outras marés se evitam as emoções em recalque...

Ainda um dia hei-de voltar,
diferente e tão igual a quem não desiste...

Ainda um dia um dia hei-de voltar,
como quem sempre sonha e persiste...

Ainda um dia hei-de voltar,
pronto a tudo o que vier,
disposto ao nada com que acabar...

Custcruz

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

O pragmatismo de Jesus,e "a benção" para quem sonha menos e corre mais...


Hoje vejo o futebol muito "à distancia",mas fico feliz quando porque lhe tomo atenção,o sinto da mesma forma como também quando em um dia esta modalidade me cativou na paixão de um jogo onde para além de tudo o mais,o "atrevimento" pela reflexão era o segredo dos bem sucedidos.
Hoje as equipas cada vez mais se revelam imagens de "cópias sobre cópias",que nos fornecem mais ou menos o mesmo tipo de erros,jogando cegamente no misero destino da "soma de gestos",que mais não são que o fazer prevalecer "a matemática das coisas",sobre o desafio imprevisível de "um amor que nasceu puro",e que por isso mesmo nunca "nele se deveria deixar de apostar".

Espero que se envolvam no sentido figurado das minhas palavras,porque sem este,não perdoaria aos atuais "mestres da bola",a ingenuidade abrupta em opções onde um qualquer "fiscal de linha" pode fazer "soltar bruaás" de satisfação,ou por "uma caçada"a preceito,ou pelo "estender de uma passadeira" que só não dá golo,se o artista for muito desajeitado.
Quero assim colocar em causa a opção obcecada e viral de uma "defesa em linha",que parece resolver tudo,mas também tudo deita a perder.
O jogador vicia-se no facilitismo dos "passos aritméticos",e auxiliando-me no exemplo de há pouco,do segundo golo soviético,quando confrontado o lateral direito pela recuperação de uma marcação,o fez em "jeito zonal",não encurtando espaços,e permitindo o cruzamento matador.
Nas costas deste lateral direito,tão badalado no nome,mas tão ineficaz no tempo,apareceu "o resto da manta", sem o minimo da noção do que é fazer uma oposição que proteja a baliza,e correndo atrás da bola,como "passarinhos" que tudo fazem por um naco de pão...
O Sporting,perdeu contra um adversário banal,bem patrocinado,e pouco mais do que isso,e se o terceiro golo até foi fácil para o seu adversário,também o foi pelas mesmíssimas razões com que a evidência na falha de um sistema táctico,coloca a nu a falta de atitude,de concentração,e sobretudo de um rigor que só termina no fim da luta,e não no meio desta.
Não sei se me fiz entender,mas eu juro que com aspas e sem aspas,eu tentei ser igual a mim próprio,e mesmo escrevendo "com linhas sobre linhas",procurei a mobilidade capaz,de não vos deixar as dúvidas que me marcassem algum golo na própria baliza.
Querem jogar no risco?
Pois que o faça quem quiser,mas sem abdicar dos preceitos que podem acautelar o fatalismo de "um passo mal medido",pois caso contrário,"o balde de água gelada" que hoje veio de terras frias,poderá repetir-se em qualquer canto luso,e que o diga o Tondela,que só ficou com "o balde nas mãos"mesmo no fim de uma contenda.
O campeonato é a prioridade?
OK,OK...então sonhem menos,e corram mais...

CNC

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Robbin Williams e Robert De Niro em "Awakenings - Despertares" de Penny Marshall (1990)



Percebo pouco de cinema,mas acredito que quem o inspira sabe, o quanto os protagonistas certos podem captar as emoções capazes de complementar as imagens sonhadas para a concretização de uma mensagem.Esta foto,é um reflexo tão expressivo quanto sublime,de que a arte nunca poderá só viver de artificialismos,mas sempre será um desafio há maior aproximação daquilo que como digo,só se consegue mesmo vivendo. O mesmo se poderá enunciar de que Robbin Williams e Robert De Niro,se envolveram no despertar brilhante de Penny Marshall,ou ainda como de uma mente se iniciou uma viagem,que só terminou depois de absorvida nos mais ínfimos requisitos das emoções genuínas.
Peço desculpa pela minha ignorância na matéria,mas só sei e sinto,quase tudo o que esta imagem nos oferece na curiosidade do que no meu caso só me falta ver.
Brilhante,
até para quem por aqui anda desprevenido de certificação cultural.

sábado, 5 de setembro de 2015

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

A fotografia e a arte,a vida e os persentimentos...




Tudo tem um timing na vida,
e este só se revela quando também a vida nos desafia a um ato momentâneo,à explanação de um feeling que nos espevite os segredos da mente,quando confrontados perante o resultado,diluem-se as dúvidas entre a beleza instintiva,e a banalidade dos intuitos delineados.
E ainda por fim,
são as mensagens que se libertam no que se observa,que certificam a arte de quem foi muito mais do que feliz,na captação de algo que nos preenche no espanto do que nunca se tinha tocado.
Parabéns Mauro Correia,
em fim de Agosto,escurecem as cores do "nosso mundo",mas não se esgotam as conjugações de quem se tenta surpreender a si próprio em cada passo que dá.

Custcruz